Libras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2063 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de abril de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto


Trabalho de Libras.


1-Na antiguidade, qual era a concepção que se tinha da pessoa surda e como a igreja católica influenciou nessa concepção e educação dos surdos?

R: Os surdos, bem como todos os deficientes, tornaram-se alvos da Medicina e da religião católica.A primeira estava interessada em suas pesquisas e a segunda em promover a caridade, pois para ela a doença representavapunição. Na antiguidade, a educação dos surdos variava de acordo com a concepção que se tinha deles. Para os gregos e Romanos, em linha gerais, o surdo não era considerado humano, pois fala era resultado do pensamento, logo quem não pensava não era humano. Não tinha direito a testamentos. À escolarização e a freqüentar os mesmos lugares que os ouvintes. Até o século XII, os surdos eram privados atémesmo de se casarem.
A igreja católica tinha grande influência na vida de toda a sociedade da época, mas não podia prescindir dos que detinham o poder econômico. Portanto, pessoa a se preocupar em instruir os surdos nobres para que o circulo não fosse corrompido. Possuindo uma língua, eles podiam participar dos ritos , dizer os sacramentos e, consequentemente, manter suas almas imortais. Alémdisso, não perderiam suas posições e poderiam continuar ajudando a Santa Madre Igreja.


2- Como Gerolano Cardano e Pedro Ponce de Leon Mudaram a Idéia que se tinha da pessoa surda na Idade Antiga e qual a contribuição deles para o início de uma língua de Sinais na Idade Moderna?

R:Ponce de Leon foi tutor de muitos surdos,e foi dado a ele o mérito de provar que a pessoa surda era capaz,seusalunos foram pessoas importantes que dominavam Filosofia, História, Matemática e outras ciências, o que fez com que seu trabalho fosse reconhecido em toda a Europa; o seu trabalho se dava com o ensino da escrita, por meio dos nomes dos objetos, e em seguida o ensino da fala, começando pelos fonemas. Gerolamo Cardano, médico, matemático e astrólogo italiano, afirmava que a surdez não impedia os surdosde receberem instrução, tal afirmação adveio após pesquisar e descobrir que a escrita representava sons da fala ou das idéias do pensamento.



3- Em 1620, houve um grande progresso nas tentativas de educar os surdos, como isso ocorreu?

R: O padre espanhol Juan Pablo Bonet, filosofo e soldado a serviço secreto do rei, considerado um dos primeiros preceptores de surdos, criou o primeirotratado de ensino de surdos-mudos que iniciava com a escrita sistematizada pelo alfabeto, que foi editado na França com o nome de Redação das Letras e Artes de ensinar os mudos a falar. Bonet foi quem primeiro idealizou e desenhou o alfabeto manual. Destaca que seria mais fácil para o surdo aprender a ler se cada som da fala fosse substituído por uma forma visível.


4- Após algumas contribuições deBonet, surgiu uma filosofia educacional ao qual defendia o processo de oralização dos surdos, cite os defensores dessa filosofia e seus procedimentos oralistas.

R: VAN HELMONT – que propunha a oralização do surdo por meio do alfabeto da língua hebraica, pois segundo ele, as letras hebraicas indicavam a posição da laringe e da língua ao reproduzir o som. Este foi o primeiro a descrever aleitura labial e o uso do espelho, que posteriormente foi aperfeiçoado por Armman.
JACOB RODRIGUES PEREIRA- foi um educador de surdos Português que embora usasse a língua de sinais com fluência, defendia a oralização de surdos. Seus trabalho consistia na desmutização por meio da visão ( usava um alfabeto digital especial e manipulava os órgãos da fala de seus alunos).
JOHANN CONRAD ARMMAN – Foi ummédico e educador de surdos suíços que aperfeiçoou os procedimentos de leitura labial por meio de espelhos e tato, percebendo as vibrações da laringe, método usado até hoje em terapias fonoaudiólogas. O foco de seu trabalho era o oralismo, pois acreditava que os surdos eram poucos diferentes dos animais , devido a incapacidade de falar. Acreditava que “na voz residia o sopro da vida, o espírito de...