Leishimaniose

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 34 (8276 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade de São Paulo
Faculdade de Saúde Pública

VOLUME 31
NÚMERO 4
AGOSTO 1997
p. 378-90

Revista de Saúde Pública
JOURNAL

OF

PUBLIC

HEALTH

31

Estudo de flebotomíneos (Diptera:
Psychodidae) em foco de leishmaniose visceral
no Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil
Study of phlebotomines (Diptera: Psychodidae) in focus
of visceral leishmaniasis in Brazil

EuniceA. B. Galati, Vânia L. B. Nunes, Frederico de Almeida Rego Jr., Elisa T. Oshiro,
Marilene Rodrigues Chang
Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São
Paulo. São Paulo, SP - Brasil (E.A.B.G.); Departamento de Patologia do Centro de Ciências
Biológicas e da Saúde da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CCBS/UFMS).
Campo Grande, MS - Brasil (V.L.B.N.,E.T.O); Departamento de Farmácia e Bioquímica do
CCBS/UFMS (M.R.C.); Clínica Veterinária Pantanal. Rio de Janeiro, RJ-Brasil.(F.A.R.Jr.)

GALATI, Eunice A. B., Estudo de flebotomíneos (Diptera: Psycodidae) em foco de leishmaniose visceral no
Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Rev. Saúde Pública, 31 (4): 378-90, 1997.

© Copyright Faculdade de Saúde Pública da USP. Proibida a reproduçãomesmo que parcial sem a devida autorização do Editor Científico.
Proibida a utilização de matérias para fins comerciais. All rights reserved.

Rev. Saúde Pública, 31 (4): 378-90, 1997

378

Estudo de flebotomíneos (Diptera: Psychodidae)
em foco de leishmaniose visceral no Estado de
Mato Grosso do Sul, Brasil
Study of phlebotomines (Diptera: Psychodidae) in focus
of visceralleishmaniasis in Brazil
Eunice A. B. Galati, Vânia L. B. Nunes, Frederico de Almeida Rego Jr., Elisa T. Oshiro,
Marilene Rodrigues Chang
Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. São
Paulo, SP - Brasil (E.A.B.G.); Departamento de Patologia do Centro de Ciências Biológicas e da
Saúde da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CCBS/UFMS). Campo Grande, MS- Brasil
(V.L.B.N., E.T.O); Departamento de Farmácia e Bioquímica do CCBS/UFMS (M.R.C.); Clínica
Veterinária Pantanal. Rio de Janeiro, RJ-Brasil.(F.A.R.Jr.)

Resumo
Introdução

Nas Américas, Lutzomyia longipalpis tem sido incriminada como vetora da
leishmaniose visceral em, praticamente, todas as áreas de ocorrência dessa
parasitose. A notificação de casos humanos a partir de 1980 e apresença de
cães com aspecto sugestivo de leishmaniose visceral no Município de
Corumbá, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil, levaram a investigações
entomológicas na área, com o objetivo de identificar a população de
flebotomíneo vetora.

Material e Método

A pesquisa foi realizada no peri e intradomicílio de três residências urbanas e
em ecótopo natural, representado por uma gruta,situado fora do perímetro urbano. As capturas, semanais em sua maioria, foram realizadas com armadilhas
automáticas luminosas, no período de 1984 a 1986. Os dados metereológicos
desse período foram obtidos junto à Estação Metereológica da cidade e os de
1925 a 1982, de bibliografia.

Resultados

A fauna flebotomínea urbana, composta de oito espécies, mostrou-se semelhante à da gruta, porémnesta, a abundância das espécies foi maior. Na área
urbana, Lu. cruzi predominou tanto no intra como no peridomicílio: no bairro
central, representou 90,3% dos espécimens e nos dois bairros periféricos, os
seus percentuais foram menores. Lu. forattinii, também, teve freqüência expressiva em um dos bairros periféricos (39,0 %). Na gruta, Lu. corumbaensis
foi a espécie predominante. Comenta-se oimpacto das condições climáticas e
do inseticida aplicado na área urbana na freqüência das espécies, e da utilização
da gruta como criadouro pelos flebotomíneos, com base na evolução da razão
entre os sexos ao longo do período. Foram adicionadas informações sobre
antropofilia e de coleta com isca canina de Lu. forattinii.

Correspondência para/Correspondence to: Eunice A. B. Galati - Av. Dr....
tracking img