Laranja

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2364 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Análise do filme Laranja Mecânica
Meu romance Violinos Vermelhos mostrado no programa do Faustão confira: http://www.youtube.com/watch?v=GQ7Jn7oTcpU
Estou no facebook: Marielsa Klatter Braga

Filme Laranja Mecânica

Indicado ao Oscar de melhor filme, Laranja Mecânica é fascinante, bizarro em algumas cenas, mas acima de tudo, um filme inteligente. Evidencia o desvio de comportamento,demonstrado brilhantemente por Alex De Larg. Apresenta um elemento psicossocial, o Behaviorismo, método que foi utilizado para condicionar Alex, como por exemplo, o soro experimental, onde a violência foi substituída pela ânsia de vômito. O Behaviorismo é determinado pela análise do comportamento, objeto de estudo da psicologia. Alex tinha instinto natural da violência o que fez lembrar-me outro filme,“Assassinos por Natureza”, onde Mickey Knox (Woody Harrelson) e Mallory Knox (Juliette Lewis) se uniram pelo desejo natural de matar.

Retornando ao Laranja Mecânica, o filme retrata a violência de jovens delinquentes liderados pelo egocêntrico Alex. Achei fascinante o contraste de beber leite, que aparentemente representa saúde, pureza e a música clássica, que segundo definição de algunsdicionários seria qualquer música em que a atração estética resida principalmente na clareza, no equilíbrio, na austeridade e na objetividade da estrutura formal. Essa definição da música clássica foge a regra para Alex, para ele representa à subjetividade, o emocionalismo exagerado, a falta de limites usando para tanto como parte de sua necessidade de violência desenfreada.

Outro exemplo de contraste équando Alex estupra a mulher do escritor e espanca-o, cantando “Singin’ in the Rain”, Cantando na chuva, que é de tema levíssimo, alegre.

Um abre aspas, lembrei de um filme agora, Contagem Regressiva, onde o brilhante ator Tommy Lee Jones, escuta U2, a música With Or Without You, enquanto prepara uma bomba. Noutra cena desse filme, lembro-me da 9ª sinfonia de Beethoven contrastando com cenasde estrema violência, de bombas destruindo locais e pessoas. Parece que a música de certa forma tem forte ligação com algumas mentes doentias, e repito, de certa forma parece fascinante essa combinação. Retornando ao Laranja Mecânica, Alex faz essa combinação da música, da boa música, com a necessidade, o desejo natural de cometer violência. A 9ª sinfonia de Beethoven, por exemplo, era suapreferida. Dentro do universo musical de Alex, a música transcendia os limites do comum e não é diferente o que penso da música, o que muitos pensam, aliás. Algumas sinfonias, como as de Bach, Mozart, como o próprio Beethoven, são intensas, carregadas em algumas notas, em alguns momentos, misteriosas em outros. Podemos senti-la eriçar a pele, tocá-la, é possível sentir a presença de algo inigualável,mágico, a música tem alma! Eleva a mente a um nível que é preciso ter o controle das emoções, emoções estas que podem aflorar segmentos da mente nunca experimentados antes. E acho que o escritor do romance que inspirou o filme Laranja Mecânica, o inglês Anthony Burgess, tinha essa percepção da música. Brahms se refere à música de Beethoven dessa forma: "ouvi-la é como escutar atrás de si o ressoar dospassos de um gigante". O que faz lembrar-me de outro filme, “Minha Amada Imortal”, que tem como tema principal um amor secreto de Beethoven. Numa cena em que Beethoven está completamente surdo, a sinfonia está impregnada na mente dele, brilhantemente ele conduz a orquestra. Enquanto isso recorda a infância, do pai violento, me emocionei bastante.
Beethoven fecha os olhos e a 9ª sinfonia está lá,junto das imagens de violência de sua infância.

Retornando, Alex tem o perfil de um desequilibrado mental, um alucinado que despreza a lei, a sociedade, a família e a religião. Um exemplo são as esculturas que tem no quarto de Jesus Cristo na cruz, sem tapa sexo, com pênis exposto. E o que é mais interessante é que isso não deixa de ser fascinante, não o Cristo nu, mas a forma diversa...
tracking img