Kjhk

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2387 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PROCESSOS TRADICIONAIS DE USINAGEM
Parte 2
Prof. Luiz Soares Júnior
Universidade Federal do Ceará Departamento de Engenharia Mecânica e de Produção

Apresentação
Carga horária: 48 h  Número de créditos: 03  Código: TE 170  Terça de 7h e 30 min. as 10 h


Sumário
 

Introdução aos Processos de Usinagem Geometria da Ferramenta de Corte


 

Fundamentos da Teoria do Cortedos Metais
Custos de Usinagem Processos de Usinagem
    

Torneamento Fresamento Furação Aplainamento e Brochamento Abrasão



Introdução ao Comando Numérico

Objetivos


O aluno deverá ao final:
   

Compreender a importância da usinagem como processo de fabricação; Identificar os elementos da geometria da ferramenta de corte; Entender os conceitos da teoria dausinagem; Compreender os principais processos de usinagem com remoção de cavaco; Assimilar os conceitos básicos da tecnologia de comando numérico.



Fundamentos da Teoria do Corte dos Metais
5

Formação do Cavaco
Cavaco – parte arrancada do material da peça pela ferramenta, caracterizada por apresentar forma irregular.

Formação do Cavaco
Fatores de Influência

Mecanismo de Formaçãodo Cavaco

Mecanismo de Formação do Cavaco

1) Recalque do material da peça contra a face da ferramenta 2) Material recalcado sofre deformação plástica que aumenta progressivamente até atingir a tensão de cisalhamento necessária ao deslizamento. Inicia-se o deslizamento do material recalcado segundo os planos de cisalhamento. Os planos instantâneos definem uma região entre a peça e o cavacodenominada região de cisalhamento. 3) Com a continuidade da penetração da ferramenta (movimento relativo) ocorre ruptura parcial ou completa na região de cisalhamento, dependendo das condições de usinagem e ductilidade do material

4) Com a continuidade do movimento relativo (peça/ferramenta) ocorre o escorregamento da porção de material deformado e cisalhado (cavaco) sobre a face da ferramenta. Oprocesso se repete, sucessivamente, com o material adjacente.

Mecanismo de Formação do Cavaco

Mecanismo de Formação do Cavaco

Mecanismo de Formação do Cavaco – Fator de recalque

Mecanismo de Formação do Cavaco

Tipos básicos de Cavacos

Tipos básicos de Cavacos

Tipos básicos de Cavacos
(ou cisalhado)

Tipos básicos de Cavacos

Tipos básicos de Cavacos

Gumepostiço
O gume postiço constitui uma massa mais ou menos estacionária de metal, soldada na face (superfície de saída) da ferramenta.
-Prejudica o acabamento superficial da peça; -Reduz com o aumento da velocidade de corte; -É praticamente inexistente nas ferramentas de metal duro.

Formas de Cavaco

Formas de Cavaco

Formas de Cavaco

Temperatura de usinagem

Força e potência decorte
As forças e a potência de usinagem devem ser conhecidas para permitir a seleção adequada da máquina ferramenta e para o projeto de dispositivos de fixação ou de ferramentas.

Força e potência de corte – Fatores de influência
Material da peça

 Elementos de liga: C – aumenta; P, S, Pb, Bi, B – diminui (aditivos de corte fácil)
 Resistência ao cisalhamento do material (quanto menor,menores as forças).  Dureza do material (quanto maior, maior a força de corte). Ideal por volta de

200HB.
 Taxa de encruamento do material (quando elevada, são necessárias altas forças para romper o material).

Material da ferramenta Normalmente desprezível, porém revestimentos de TiN causam a redução de Fc e Ks, devido à diminuição do atrito cavaco-ferramenta.

Força e potência de corteFc = kc x A = kc x ap x f (N)
Fc é a força principal de corte Kc é a pressão específica de corte (N/mm2) A é área da seção do cavaco (mm2) ap é profudidade de corte (mm) f é o avanço (mm/min)

Rendimento  = (Pc/Pa).100
Pc é a potência de corte Pa é a potência de acionamento do motor

Pc = (Fc . Vc)/60000

(kW)

Pc é a potência de corte Vc é a velocidade de corte (m/mim) tabelada...
tracking img