Hulia costa de souza

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2123 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
• Gasometria arterial
→ Locais de coleta:
* Catéter arterial umbilical:
- Indicada em RN com doença pulmonar grave ou moderada e menores de 1500g em ventilação mecânica
* Catéter arterial percutâneo
- Locais: artéria radial ou tibial posterior
- Para infusão de fluidos, sangue ou drogas , além de coleta de sangue- Tempo de permanência prolongado
* Punção percutânea de artéria periférica
- Processo doloroso pode levar a queda da paO2 e da saturação de oxigênio
- Locais: radial, ulnar, temporal, tibial posterior, pediosa
- Evitar a punção da artéria braquial pelo risco de lesão do nervo mediano
- Não puncionar artéria femoral, pelo risco detrombose, necrose do membro e osteoartrite coxofemoral
- A comparação da saturação de oxigênio pré e pós-ductal é útil no diagnóstico diferencial entre a hipertensão pulmonar persistente neonatal e as cardiopatias congênitas
* Punção capilar
- Locais: poção medial ou lateral do calcanhar
- As medidas de pH e paCO2 são semelhantes às do sangue arterial, mas as medidas dapaO2 não são confiáveis
* Medidas de saturação na artéria pulmonar ou átrio direito
- Locais: cateter na artéria pulmonar ou, umbilical com extremidade no átrio direito
- Saturação de O2 de 50% representa hipóxia tecidual e abaixo de 30-40%, lesão tecidual irreversível.
→ Fatores que interferem nos valores da gasometria arterial:
- Bolhas de ar no interior da seringapodem causar aumento da paO2, discreta elevação do pH e diminuição da paCO2
- Demora no processamento da gasometria: a cada hora há um decréscimo de 0,05 no pH e aumento de 5 mmHg na paCO2
- Excesso de heparina na seringa: o CO2 do sangue se difunde para a heparina reduzindo a paCO2, diminuindo o excesso de base, alterando discretamente o pH. Quantidade ideal de heparina para 1ml desangue: 0,05ml
- Choro e hiperventilação do paciente: diminuição de 6 mmHg na paCO2 e 17mmHg na paO2
- Mistura venosa no momento da coleta

VALORES DE NORMALIDADE DA GASOMETRIA ARTERIAL
| |IG < 28 sem |IG 28-40 sem |RNT e HPPN* |DBP** |
|paO2 (mmHg)|45-65 |50-70 |80-120 |60-80 |
|paCO2 (mmHg) |40-50 |40-60 |20-40 |45-70 |
|PH |≥ 7,25 |≥ 7,25 |7,50-7,60 |7,35-7,45 |

4.18Gasometria
A coleta de sangue arterial ou venoso para análise dos gases sanguíneos re-
quer cuidados na escolha do material adequado a ser utilizado na coleta, na
conservação da amostra e no transporte imediato ao laboratório. A análise dos
gases no sangue arterial é fundamental no tratamento de pacientes críticos,
75
RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/MEDICINA LABORATORIALPARA COLETA DE SANGUE VENOSO
sendo, em geral, necessária quando a amostra venosa não permite a medição
de todos os parâmetros requeridos pelo médico-assistente. Assim, neste item,
discutiremos a coleta de amostras arteriais e venosas.
Identificação do paciente
A identificação correta do paciente, juntamente com outras informações
complementares, são essenciais para que o laboratório possaavaliar correta-
mente os resultados obtidos após análise da amostra. Os dados mais relevan-
tes são:









nome completo do paciente, idade e sexo;
número/registro do paciente;
identificação do médico solicitante;
localização do paciente: andar, quarto e leito;
data e horário da obtenção da amostra;
fração de oxigênio inspirado (FIO2);
temperatura do paciente;...
tracking img