Historia da farmacia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1014 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
HISTÓRIA DA FARMÁCIA NO BRASIL
• Inicialmente, Martim Afonso deixo no Brasil os primeiros povoadores, náufragos, degredados, aventureiros e colonos . Estes aprenderam com os pajés a preparar os remédios da terra para tratar seus próprios males.
• Remédio da "civilização" só apareciam quando expedições portuguesas, francesas ou espanholas apareciam com suas esquadras, onde sempre havia umcirurgião barbeiro ou algum tripulante com uma botica portátil cheia de drogas e medicamentos.
• Com o primeiro governo geral no Brasil (Thomé de Souza),
• Vieram seis jesuítas, quatro padres e dois irmãos, chefiados por Manuel da Nóbrega.
• O corpo sanitário da grande armada compunha-se de apenas um boticário, Diogo de Castro, com função oficial e com salário.
• Não havia nestaarmada nenhum físico-mor (médico).

Jesuítas e as Boticas
• Os jesuítas eram práticos e previdentes e instituíram as enfermarias e boticas em seus colégios.
• Em São Paulo o irmão que preparava os remédios era José de Anchieta, por isso podemos considerá-lo o primeiro boticário de Piratininga.
• Na Bahia existiu a botica mais importante dos jesuítas.
• Tornou um centro distribuidorde medicamentos para as demais boticas dos vários colégios de norte a sul do país.
• A botica era bem aparelhada para o preparo de medicamentos, e também aproveitava as matérias primas indígenas.
• Alguns medicamentos preparados por Jesuítas
• Possuíam o método de obtenção de certos produtos químicos, como a pedra infernal (nitrato de prata).
• A penicilina da época, era a TríagaBrasílica, que se manipulava mediante fórmula secreta.


Boticas do Brasil

Foram autorizadas como comércio, em 1640.
• A sangria, também foi legalmente autorizada, resultando em competição entre os barbeiros e os escravos sangradores.
• As boticas se multiplicaram, de norte a sul, dirigidas por boticários aprovados em Coimbra pelo físico-mor, ou por seu delegado comissário nacapital do Brasil, Salvador.
• Os boticários, eram profissionais empíricos, as vezes analfabetos, possuindo apenas conhecimento de medicamentos corriqueiros.
• Raras eram as boticas legalmente estabelecidas.

A fiscalização das Boticas
• O comércio das drogas e medicamentos era privativo dos boticários.
• A época de D. Manuel (século XVI), intensificou-se a fiscalização do exercíciodessa profissão, pois o regimento proibia terminantemente o comércio ilegal das drogas e medicamentos, estabelecendo pesadas multas e seqüestro dos respectivos estoques. Houve, busca e apreensões das mercadorias proibidas, que foram depositadas nas boticas locais. Foi um "Deus nos acuda".
• De acordo com o regimento: legalização do profissional responsável; existência de balança; pesos emedidas; estado de conservação das drogas vegetais, principalmente as importadas; medicamentos galênicos; produtos químicos; vasilhames e ocasionalmente, a existência de alguns livros.
• As inspeções das boticas seriam rigorosas e realizadas a cada três anos. Este regimento foi considerado modelar para a sua época.

Farmacopéias
• Em 1772, autor Frei João de Jesus Maria, monge beneditino eboticário do convento.
• Em 7 de abril de 1794 foi mandada adotar a Farmacopéia Geral para o Reino de Portugal e Domínios, de autoria de Francisco Tavares, professor da Universidade de Coimbra.

Boticários em São Paulo
• Em 1765, tinha três boticários, Francisco Coelho Aires, estabelecimento e moradia na rua Direita, Sebastião Teixeira de Miranda na atual rua Alvares Penteado e José Antônio deLacerda na atual Praça da Sé.

• Os Estudos de Farmácia
Não haviam faculdades, as ciências de uma maneira geral eram privilegio dos que podiam ir estudar em Lisboa, Paris ou Londres.
• Com a vinda da família real, (1803) que o país, ainda colônia, adquiriu o direito de acompanhar os movimentos culturais e científicos que aconteciam no velho continente a mais de um século.
• O...
tracking img