Historia da arte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1389 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
MIMESE

Mimese: Recriação da realidade , a partir dos
preceitos platônicos, segundo os quais o
artista, ao dar forma à matéria, imita o mundo
das idéias.
Dicionário Houaiss da língua portuguesa. 1 ed. 2001.

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
MIMESE

A revolução grega pode ter mudado a função e as formas
da arte.Não pôde mudar a lógica da fabricação de imagens,
pelo simples fato de que sem um meio expressivo e sem
um esquema capaz de ser moldado e modificado nenhum
artista pode imitar a realidade.
Sabemos que nome os antigos davam às suas, schematas;
referiam-se a elas como o cânon, isto é, as relações básicas,
geométricas que o artista tem de conhecer para a
construção de uma figura plausível.Mas o problema do cânon acabou suplantado na arte grega
pela busca da verdade e da proporção, de modo que talvez
devamos escolher outro ponto de partida à margem dos
domínios da grande arte para continuar a nossa
investigação da mimese.

Cariátides ( Erecteion - Acrópole,
Atenas, séc. V a.C.)

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
SCHEMATA

Podemos encontrar esse pontode
partida numa tese de doutoramento
sobre a psicologia do desenho em que
o autor, F. C. Ayer sumariza da seguinte
maneira as suas conclusões: "O artista
profissional adquire uma grande
quantidade de schemata com a qual
produz rapidamente no papel o
esquema de um animal, de uma flor,
de uma casa.

A Virgem com o Menino e Santa Anna
(Óleo sobre tela, 168 x 130 cm, 1508)
A Virgem, oMenino, Santa Anna e S. J. Batista
(Carvão sobre cartão, 141,5 x 104 cm, 1495)
Rafael – Madona di Campi
(Têmpera s/madeira, 113 x 88 cm, 1506)

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
SCHEMATA

Esse esquema lhe serve de apoio
para a representação de imagens
da sua memória e ele modifica
gradualmente o esquema, até que
corresponda àquilo que deseja
exprimir.
Muitosdesenhistas deficientes em
schemata que sabem copiar outro
desenho não sabem copiar o
objeto."

Leonardo da Vinci
São João Batista (Óleo sobre tela, séc XVI)
Leonardo da Vinci
Baco (Óleo sobre tela, séc XVI)

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
SCHEMATA

Na verdade, aquilo que chamei de "patologia do retrato", os
curiosos erros feitos por copistas e artistas topográficos,muitas vezes se deve à falta de um esquema.
Duvido, no entanto, que haja artistas hoje que gostariam de
ser classificados entre os "desenhistas profissionais" que o
psicólogo observou e descreveu.

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
SCHEMATA

Seu relato não deixa de lembrar aqueles manuais para
amadores que prometem ensinar “como desenhar uma
árvore", "como desenharpassarinhos", navios a vela,
aeroplanos ou cavalos.
Onde há fumaça em geral há fogo. A quantidade de livros
dessa espécie que as máquinas impressoras vomitam ano
sim ano não deve ser tão grande quanto o sagrado horror
do artista a esses "truques". Existem livros para os
interessados mostrando como desenhar mãos, pés e olhos,
bem como excelentes enciclopédias que ensinam tudo isso
e muito maisem meia dúzia de lições. Mas todos esses
livros partem do princípio que seria de esperar da fórmula
"esquema e correção".
Ensinam o um cânon singelo e mostram como construir o
requerido vocabulário com base em formas geométricas,
fáceis de lembrar e fáceis de desenhar, como o pato que eu
aprendi a fazer quando criança.
Entre os mais simples, devemos citar o ABC do desenho de
Allen,Graphic Art in Easy Stages, mas o princípio é o
mesmo em livros mais sérios, como How to Draw Birds, de
R. Sheppard .

Fórmula e Experiência
Arte e Ilusão GOMBRICH, E. H.
SCHEMATA

Essas lições para o artista principiante podem ser comparadas a
certos “métodos de construção de imagens observados na arte
primitiva. As civilizações antigas aprenderam a representar olhos
classificando-os como...
tracking img