Histologia vegetal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2430 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
HISTOLOGIA
HISTOLOGIA VEGETAL
SISTEMA
SISTEMA DE REVESTIMENTO
O sistema de revestimento compreende a epiderme e a periderme. A
primeira reveste a superfície do vegetal em crescimento primário, podendo ser
substituída pela periderme nos órgãos que apresentam crescimento secundário.

EPIDERME
A epiderme geralmente é uniestratificada e se origina da protoderme.
Quando

ocorrem

pluriestratificadacamadas

subepidérmicas,

ou

hipoderme,

de

pode-se

sendo

que

tratar
a

de

epiderme

primeira

deriva

ontogeneticamente da protoderme e a segunda tem origem diversa, provindo do
meristema fundamental.

Velame é um exemplo de epiderme múltipla, que ocorre

em raízes aéreas de orquídeas.
Esse sistema de revestimento é constituído por células que formam
uma camada compacta, desprovida deespaços intercelulares, entre as quais se
encontram os anexos epidérmicos, representados geralmente pelos estômatos e
tricomas.

De um modo geral, as células epidérmicas são vivas, aclorofiladas,

altamente vacuoladas e possuem forma, tamanho e arranjo variáveis.
Comumente possuem paredes celulares primárias delgadas, com
campos de pontoação primários e plasmodesmos nas paredes anticlinais e
periclinalinterna, de modo a favorecer a passagem de água entre células
adjacentes; raramente se observa lignina. Apresentam cutina, polímero de ácidos
graxos insaturados, que é impregnada entre os espaços das fibrilas de celulose
(processo de cutinização) e depositada sobre a parede periclinal externa (processo
de cuticularização), na forma de uma película semipermeável à água, denominada
de cutícula. Estapode ser lisa ou ornamentada e desempenhar diversas funções:
proteção contra perda de água e penetração de microrganismos e parasitas;
reflexão, difusão ou concentração dos raios solares.

Cera epicuticular pode

ocorrer principalmente na superfície de folhas e frutos; compõe-se de longas

24

cadeias de hidrocarbonetos, ésteres alquilas, álcoois primários livres e ácidos
graxos.

EstômatosEstômatos
Estômatos são aberturas na epiderme delimitadas por células
especializadas, denominadas de células-guarda, que por sua vez podem ser
ladeadas ou não por células subsidiárias (Fig. 10). Estas são assim designadas
quando diferem morfologicamente das demais células epidérmicas. O estômato e
as células subsidiárias compõem o aparelho estomático.

Abaixo do estômato

localiza-se a câmarasubestomática, que se conecta com os espaços do
clorênquima. Em Dicotyledoneae, as células-guarda geralmente têm o formato
reniforme, enquanto que em Monocotyledoneae (Poaceae e Cyperaceae), a forma
lembra um haltere.

Raramente presentes nas raízes, os estômatos são

encontrados nas partes aéreas do vegetal, principalmente nas folhas. Possuem
núcleo proeminente e cloroplastos que realizam fotossíntese; aparede celular é
desigualmente espessada, sendo mais delgada junto às células subsidiárias, o que
possibilita movimentos de abertura e fechamento, em decorrência do turgor celular.
Com relação à posição na epiderme, os estômatos podem-se localizar
acima, abaixo ou no mesmo nível das células epidérmicas. Com referência à
localização diferencial nas folhas, órgão aéreo onde são relevantes, osestômatos
podem ocorrer na face abaxial e/ou adaxial da epiderme, levando à classificação de
folha hipoestomática, epiestomática ou anfiestomática.
Quanto ao tipo de estômato segundo as células subsidiárias em
Dicotyledoneae (Fig. 11), classificam-nos em anomocítico ou ranunculáceo
(ausência de células subsidiárias), diacítico ou cariofiláceo (presença de 2 células
subsidiárias perpendiculares àscélulas-guarda), paracítico ou rubiáceo (presença
de 2 células subsidiárias paralelas às células-guarda) e anisocítico ou crucífero
(presença de 3 ou mais células subsidiárias, sendo uma delas menor que as
demais).

Com base na disposição dos estômatos nas folhas, distribuem-se ao

acaso quando a nervação é reticulada, comum em Dicotyledoneae, e em arranjos
lineares quando a nervação é paralela, caso...
tracking img