Hipovitaminose a no brasil: um problema de saúde pública

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6904 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 INTRODUÇÃO


A vitamina A é um dos mais importantes micronutrientes para a saúde do homem, especialmente para o crescimento, desenvolvimento, manutenção de tecidos epiteliais, reprodução, sistema imunológico e, em especial para o funcionamento do ciclo visual na regeneração de fotorreceptores (AMBRÓSIO, et al, 2006).
A relação existente entre essa vitamina e as propriedades da visão e dodesenvolvimento faz dessa substância uma das mais estudadas. Sua importância, bem como as consequências de sua ingestão em níveis excessivamente baixos são causas de diversas doenças: xeroftalmia; queratomalacia; doenças de pele; anormalidades de reprodução; cálculos renais e ureterais; defeito para adaptação ao escuro; falência de crescimento; xerose e queratinização de membranas mucosas; e, ainda,aumento de risco de transmissão vertical do vírus HIV-1. (EL BEITUNE, 2003).
No Brasil, a Deficiência de Vitamina A (DVA) apresenta, conforme artigos publicados, níveis alarmantes, constituindo grave problema de saúde pública (RAMALHO, et al, 2002).
O objetivo geral do presente trabalho consiste na pesquisa da incidência da Hipovitaminose A como problema de saúde pública no Brasil. Comoobjetivo específico, pretende o presente esclarecer até que ponto a implantação de programas voltados ao combate da deficiência nutricional específica dos programas já existentes pode diminuir o índice de morbidade e mortalidade de grupos de risco.
Muito embora a carência da vitamina A tenha conseqüências bem definidas, sua abrangência no Brasil ainda é um problema de amplitude praticamentedesconhecida. A pouca informação existente acerca do número de mortes e incapacitações relacionadas à carência da vitamina A contribuem para dificultar a situação. O vasto território nacional bem como sua diversidade cultural, social, econômica, são fatores agravantes à confiabilidade que estudos já realizados apresentam, chegando inclusive a serem contraditórios seus resultados (RAMALHO, et al, 2002). Diantedisso, a necessidade de um exame mais cuidadoso que leve em consideração as peculiaridades dos grupos formadores da sociedade brasileira como forma a garantir que, a partir de dados reais, se possa implantar programas de combate à Hipovitaminose A.


1.1 A Vitamina A


O conhecimento humano acerca das propriedades nutricionais da vitamina A e seus benefícios para a saúde é relativamenterecente. Destaca El Beitune et al (2003):

[...] que a história da vitamina A está intrinsecamente ligada a suas aplicações clínicas, notadamente àquelas ligadas ao controle da cegueira noturna. Segundo Franco, esta afecção foi descrita, pela primeira vez, no Egito, cerca de 1500 a.C. (EL BEITUNE, et al, 2003).

É importante salientar a associação feita pelos antigos egípcios entre o consumo dedeterminados alimentos e a ocorrência da cegueira noturna, esta que mais tarde se comprovaria no mais aparente sintoma da Deficiência de Vitamina A (DVA).
A vitamina A é um micronutriente essencial para a saúde. Estudos publicados nos artigos revisados revelam que essa vitamina está envolvida na reprodução, no ciclo visual e na diferenciação celular, que por sua vez afeta processos fisiológicoscomo o crescimento, o desenvolvimento fetal e a integridade do sistema imunológico (DIMENSTEIN, et al, 2003). A ação desenvolvida pela vitamina A no desenvolvimento embrionário e na diferenciação normal dos tecidos epiteliais faz da presença dessa vitamina fator essencial em períodos de crescimento e desenvolvimento, especialmente na gestação e lactação, visto que o colostro humano é particularmenterico em vitamina A. Especialmente nesses períodos. (DIMENSTEIN, et al, 2003).
A necessidade de vitamina A por parte do corpo humano varia de acordo com o critério usado para determinar sua adequação (SOUZA, VILAS BOAS, 2002). A legislação brasileira recomenda a ingestão de 5000Ul de vitamina A como dose diária, conforme a resolução 12/78 da Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos...
tracking img