Guerra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (264 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Brasil 1961-1964: Inflação, estagnação e ruptura
Mário M. C. Mesquita1
Entre o final de janeiro de 1961 e 31 de março de 1964, o Brasil viveu um período de
singular turbulênciapolítica, assistiu a única experiência parlamentarista da era
republicana, teve três presidentes, cinco chefes de governo e seis ministros da Fazenda. A
rotação no comando dapolítica econômica contribuiu para a perda progressiva do controle
sobre a inflação e outras variáveis macroeconômicas. Nesse contexto, a subdivisão do
capítulo segue a seqüênciade desenvolvimentos políticos que marcou o período: a breve
tentativa de estabilização ortodoxa sob Quadros, as políticas econômicas do período
parlamentarista, e a fasepresidencialista do governo Goulart, marcada pela implementação
tentativa do Plano Trienal. A última seção inclui uma discussão sobre as origens da
desaceleração de 1963-1964 bem como umaavaliação mais ampla das políticas do período
em questão.i
O início dos anos sessenta foi, em suma, caracterizado por aceleração inflacionária,
tentativas fracassadas deestabilização e intensa instabilidade política, um quadro no qual se
intensificaram tensões que já estavam presentes desde os anos quarenta e cinqüenta. Foi
também um período de aguda,porém breve, desaceleração econômica, o qual teria
contribuído para consolidar certos elementos do consenso expansionista que caracterizou a
política econômica brasileira atéseu esgotamento nos anos oitenta do século passado.
1. A Tentativa de Estabilização sob Quadros
Em 31 de janeiro de 1961, Jânio Quadros assumiu a Presidência da República amparadopela mais significativa votação popular registrada até então na história das eleições
1
Diretor de Política Econômica, Banco Central do Brasil
Email: mariomcmesquita@gmail.com
tracking img