Grandes navegacoes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3414 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Grandes Navegações
Resumo
Este trabalho tem como objetivo abordar o período da historia que compreende as Grandes Navegações, bem como os países que participaram dessas navegações: Portugal, Espanha, Inglaterra, França e Holanda, sendo que Portugal foi o pioneiro.
Introdução
Mapa-múndi criado em 1507, a partir deinformações geográficas das grandes navegações.
Era das Grandes Navegações é o nome dado ao período da história que ocorreu entre o século XV e o início do século XVII, em que os europeus exploraram intensivamente o globo terrestre em busca de novas rotas de comércio. Os historiadores referem-se à "era das grandes navegações” como as primeiras explorações marítimas realizadas por portugueses eespanhóis entre os séculos XV e XVI, que estabeleceram relações com África, Américas e Ásia, em busca de descobrir uma nova rota marítima para as Índias e encontrar novas terras. Estas explorações no Atlântico e Índico foram sucedidas pelos países do norte da Europa, França, Inglaterra e Holanda, que exploraram as rotas comerciais portuguesas e espanholas até ao Oceano Pacífico, chegando à Austráliaem 1606 e à Nova Zelândia em 1642.
A era das grandes navegações destacou a passagem do feudalismo da Idade Média para a Idade Moderna, com a subida dos estados europeus. Durante este período, os europeus encontraram e documentaram povos e terras nunca antes vistas. Juntamente com o Renascimento e o crescimento do humanismo, foi importante para o início da modernidade, estimulando a pesquisacientífica e intelectual.
Desenvolvimento
Monstro marinho
Até o século XV pouco se sabia a respeito dos oceanos e da geografia da Terra. As informações que os europeus possuíam eram imprecisas e povoadas de lendas e histórias religiosas. Tais informações, em sua maioria, foram colhidas pelos europeus dos gregos, que desde a Antiguidade viajavampelos mares e contavam aquilo que haviam visto em histórias fabulosas, cheias de mitos e seres maravilhosos e monstruosos. Somavam-se às histórias transmitidas pelos gregos, aquelas que os próprios europeus criaram, nas quais a religiosidade cristã estava muito presente. O que se sabia até então era que a Terra estava dividida em três partes (Europa, Ásia e África), que estavam separadas pormares estreitos e pelos rios Ganges, Eufrates, Tigre e Nilo, e, por fim, que ela era cercada por um único oceano, cheio de perigos e habitado por monstros aterrorizantes. Dessa forma, apesar de o oceano exercer fascínio sobre os europeus, eles restringiam suas viagens marítimas a regiões que ficavam próximas ao litoral. Contudo, não era apenas o medo que os europeus tinham do oceano que os impediade viajar por ele, havia também o problema de que eles não possuíam instrumentos de navegação nem embarcações que lhes dessem maior segurança para se afastar do litoral.
Quadrante era utilizado para calcular a latitude tanto pela altura do Sol quanto a da estrela polar, á noite.
A pesar do medo que o oceano provocava e das dificuldades técnicas de se viajar por ele, nos fins do século XV, oseuropeus conseguiram desvendar seus mistérios, movidos por questões econômicas, políticas, religiosas, e até mesmo pelo fascínio que ele despertava. O que permitiu as grandes viagens marítimas, nesse período, foram o desenvolvimento dos instrumentos de navegação, a criação de embarcações mais resistentes e modernas, os incentivos e investimentos financeiros e também a disposição dos navegadorespara viajar. Instrumentos como a ampulheta, a balestilha, o astrolábio, a bússola, o quadrante, etc, há muito tempo conhecidos no oriente, foram, nesse período, bastante divulgados entre os europeus e aperfeiçoados por eles. A criação da caravela pelos portugueses foi outro importante fator que possibilitou as viagens marítimas, pois ela era uma embarcação forte, que permitia enfrentar correntes e...
tracking img