George romanes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5903 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO


Este trabalho dá uma noção geral de quem foi George J. Romanes, situando-o às evoluções científicas do séc. XIX, diretamente influenciado pela Teoria da Evolução e as suas contribuições para o surgimento da Psicologia e da Biologia.

Entender suas passagens pelas universidades, ao lado de cientistas da época, o coloca no centro aonde viria surgir a teoria que abria uma novavertente para o pensamento sobre a origem e a existência humana, a teoria da evolução de Darwin, análoga ao estudo e conceito da razão.

Em seu primeiro livro, A origem das espécies (1859), Darwin propôs que todos os animais descendiam de uns poucos ancestrais comuns e que esse processo levara milhões de anos.

Romanes, quase como “um fiel escudeiro”, trabalhou em cima da teoria de Darwintanto como fisiologista como “psicólogo”, procurando entender a estruturação mental dos animais.

Apesar de ser cunhado no antropomorfismo, (atribuição de características humanas ao animais), e criticado por isso, Romanes coloca na pauta de interesse dos cientistas, as emoções, a capacidade de raciocínio e as adaptações dos seres vivos. Com isso, a Psicologia ganha mais espaço, entrando em momentoem que as regras da sistematização já estavam estabelecidas, mas careciam de aprofundamento, e alma se tornava um campo vasto para sua investigação.



George John Romanes
(1848 - 1894)

Biólogo e psicólogo britânico nascido em Kingston, Ontário, defensor das teorias de Charles Darwin, aplicando-as a psicologia. Filho mais velho do também famoso Reverendo George Romanes e de Isabella GairSmith, foi batizado na St. Andrew's Presbyterian Church, Kingston (1848). Deixou o Canadá aos dois anos quando seu pai aposentou-se e retornou a Inglaterra, e nunca mais retornou ao país natal, apesar de ter sido eleito Fellow da Faculty of Law, do Queen's College (1865). Educado na escola presbiteriana, formou-se em biologia no Trinity College em Cambridge, onde estudou com o Dr. Michael Foster(1870), e passou a trabalhar no Physiological Laboratory da University College sob a direção do Professor Burdon Sanderson. No Laboratório, em Oxford, adquiriu especial interesse por fisiologia, e conheceu (1874) Charles Darwin, durante uma visita a Londres. Foi eleito Fellow da Royal Society (1879). Fundou a Romanes Chair of Biology, da Oxford University, e escreveu Animal Intelligence o métodoanedótico de estudo do comportamento dos animais (1882), Mental Evolution in Animals e Darwin and After Darwin. Morreu em Oxford e foi enterrado no Holywell Cemetery, Oxford. Sua esposa Ethel Romanes, publicou The Life and Letters of George John Romanes (1896).

Relação com Darwin e a Teoria da Evolução

Em 1873 escreveu uma carta, publicada pela revista Nature, a respeito de um problema dateoria da evolução, que chamou a atenção do próprio Darwin. O famoso naturalista escreveu uma carta gentil ao jovem estudante, iniciando-se assim um intercâmbio que iria durar duas décadas.

No ano seguinte, Darwin convidou Romanes a encontrá-lo pessoalmente. De acordo com a biografia de Romanes escrita por sua esposa: “A partir dessa época começou uma amizade ininterrupta, marcada de um lado poruma veneração, reverência e afeição e, do outro lado, por uma gentileza quase paternal e um maravilhoso interesse pelo pela carreira do jovem.”.

Quando se encontraram pela primeira vez, Romanes tinha 26 anos de idade e não havia publicado nenhum trabalho científico relevante. Darwin, que tinha 65 anos, havia publicado seus principais trabalhos sobre evolução (Origin of species, Variation ofanimals and plants under domestication, Descent of man).
Por que Darwin, uma pessoa famosa e bem estabelecida no mundo científico, se interessou especialmente por Romanes?

De acordo com Joel Schwartz, quando Romanes publicou a carta na revista Nature, Darwin sentia a necessidade de um “forte defensor”. Estavam se difundindo novas opiniões sobre a evolução, colocando em risco a teoria da seleção...
tracking img