Geografia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2537 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Terrorismo Religião e Soberania
Nas últimas duas décadas, mentes sombrias têm se espalhado pelo mundo com uma missão consciente e bem definida: provocar profundo medo e ansiedade, dor, desespero e muitas mortes, incluindo as delas próprias, ao se explodirem juntamente com o alvo escolhido. Eles são os terroristas suicidas.
Esse tipo de terrorista provoca um dano físico devastador ao serrealizado em áreas públicas. Eles são motivados por razões políticas, religiosas ou étnicas, e seu maior ideal é produzir um efeito psicológico negativo em uma população inteira, e não apenas nas vítimas de seus ataques. Quinze organizações terroristas diferentes em doze países têm abrigado táticas suicidas nos últimos 20 anos. Em fevereiro de 2000 ocorreram aproximadamente 275 incidentes suicidas (5).Acreditando que os fins justificam os meios
Muitas podem ser as causas que motivam um terrorista suicida: a expulsão de estrangeiros, provocar mudanças políticas, realizar retaliação e vingança, ganhar projeção local ou global, construir uma imagem de poder, angariar apoio do público, recrutar novos voluntários, preservar território, cultura ou religião, etc.
Qualquer que seja a causa que oterrorista invoca, ele é firmemente impulsionado pela crença de que a vitória da causa deve ser alcançada a qualquer custo. Os terroristas, em nome da religião, costumam justificar a violência em nome da autodefesa ou para vingar as comunidades religiosas a que pertencem.  "Eles acreditam que existe uma diferença entre o certo e errado, mas também que se fizerem alguma coisa em nome da causa, ela serájustificada, mesmo que seja errada", diz Rona Fields, uma psicóloga americana que tem estudado terroristas por mais de 30 anos. Yoram Schweitzer, do Instituto Internacional para Contenção do Terrorismo, argumenta que a religião não é inocente, mas ela não provoca violência por qualquer razão. Ele diz: "Isso só acontece devido a um conjunto peculiar de circunstâncias - políticas, sociais eideológicas".
Estas circunstâncias abrem o caminho para formas de violência ilimitada através da racionalização em nome de um bem comum. Assim, até mesmo as ações mais depravadas acabam sendo justificadas por uma causa supostamente digna e humana. Com argumentos irracionais ou ilógicos, o ser humano é capaz de justificar quase tudo. Adolf Hitler, que usou o terror como uma tática política, mostrou aomundo que os fins justificam os meios, com seu objetivo de "salvar " a raça alemã através do exterminío dos imperfeitos e dos politicamente  inconformados. Nos dias atuais, os terroristas parecem operar da mesma forma.
Examinando a psique do terrorista
O perfil do terrorista suicida não é o de um psicopata ou de um bandido, como se acredita. Normalmente ele é um ser humano como qualquer outro, comprincípios morais e religiosos. O psiquiatra mulçumano Dr. Eyad Sarraj acrescenta que os terroristas islâmicos são "geralmente pessoas tímidas, introvertidas e não violentas, de uma forma geral".
Então por que estes indivíduos estariam dispostos a se juntar a um grupo terrorista? O Dr. Jarrold Post, da George Washington University, e ex-chefe da Central Intelligence Agency's Center for Analysisof Personality and Political Behavior in Terrorism, acha que a principal razão é de natureza social. Como acontece com todos os seres humanos, ele necessita pertencer a um grupo que o aprove, e encontrar seu lugar dentro dele. A missão do terrorista agora se torna um objetivo novo e valioso em sua vida, seguindo os ditames de seu novo grupo social. Seguindo este novo caminho, eles encontram umsenso renovado para suas vidas e se sentem importantes e comprometidos. Eles sentem que se tornarão heróis, que seus parentes e colegas irão chorar de emoção em razão de sua coragem absoluta em morrer por uma causa. Eles irão desaparecer, mas estão convictos agora que deixarão suas marcas em algum lugar, tornando-se o orgulho de todos aqueles que não morreram.
Em todo o mundo islâmico pode-se ver...
tracking img