Fundamentos de economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2479 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo 2 - Evolução do Pensamento Econômico: Breve Retrospecto

1 Percursores da teoria econômica
Na antiguidade as primeiras referências à Economia surgem no trabalho de Aristóteles, e logo após nos escritos de Plátão e de Xenofonte.
A primeira escola econômica surge a partir do século XVI, chamada de mercantilismo. Esta escola tinha como principio a acumulação de riquezas de uma naçãoatravés do fomento do comércio exterior e do entesouramento de riquezas. Devido a essa busca dos países por metais preciosos, essa política estimulou guerras, aumentou o nacionalismo e manteve exacerbada a presença do Estado na Economia.
A segunda escola econômica, a fisiocracia, surgiu no século XVIII, como reação ao mercantilismo. os fisiocratas sustentavam que a terra era a única fonte deriqueza e que, por haver uma ordem natural que fazia com que o universo fosse regido por leis naturais, absolutas, imutáveis e universais, era desnecessária a governamental. A função do soberano era apenas de intermediar para que as leis da naturezas fossem cumpridas. Para esta escola, a riqueza consistia em bens produzidos em atividades econômicas relacionadas à natureza como a lavoura, a pesca e amineração e, em contrapartida, exigia-se que atividades como comércio e finanças fossem desestímuladas.

2 A Teoria Clássica
Em 1723, com o renomado professor Adam Smith, precursor da moderna teoria econômica, surge o liberalismo através da escola clássica. Para esta escola, todos os agentes econômicos, em busca do lucro máximo, acabam promovendo o bem-estar de todos, como se uma mão invisívelorientasse todas as decisões da economia, sem necessidade da atuação direta do Estado, mas apenas na proteção da sociedade contra eventuais ataques. Seus argumentos baseavam-se na livre iniciativa, no laissez-faire e que a causa da riqueza das nações é o trabalho humano, o que representa a teoria do valor-trabalho. Além disso, um dos fatores decisivos para aumentar a produção seria a divisão dotrabalho, o que promoveu um aumento da destreza pessoal, economia de tempo e condições favoráveis para o aperfeiçoamento e invenção de novas máquinas e técnicas.
Outro expoente do período clássico foi David Ricardo que, partindo das idéias de Smith, desenvolveu modelos econômicos com grande potencial analítico. Além disso, ele desenvolveu estudos sobre o comércio internacional, analisandoquestões como as negociações entre as nações, o beneficio dessas negociações e quais produtos deveriam ser comercializados, alcançando a teoria das vantagens comparativas, concluindo que o comércio entre países dependeria das dotações relativas de fatores de produção. Dos seus estudos surgiram duas correntes antagônicas: a corrente neoclássica, a partir das abstrações simplificadoras; e a correntemarxista, pela ênfase dada à questão distributiva e aos aspectos sociais na repartição da renda da terra.
Os economistas John Stuart Mill e Jean-Baptiste Say também contribuíram para a escola clássica. O primeiro, sintetizando pensamento clássico, incorporando mais elementos institucionais e definindo melhor as restrições, vantagens e funcionamento de uma economia de mercado. O segundo, ampliando aobra de Adam Smith, subordinando o problema das trocas de mercadorias a sua produção e popularizando a lei de Say: "a oferta cria sua própria procura", gerando um circulo virtuoso.
O primeiro economista a sistematizar uma teoria geral sobre a população foi o economista da escola clássica Thomas Malthus, assinalando que o crescimento populacional dependia rigidamente da oferta de alimentos. Paraeste economista, enquanto a população crescia em progressão geométrica, a produção de alimentos seguia em progressão aritmética. Em função disso, ele advogou o adiamento de casamentos, a limitação voluntária de nascimentos nas familias pobres e aceitava as guerras como uma solução para interronper o crescimento populacional. Porém Malthus não previu o ritmo e o impacto do progresso teconológico...
tracking img