Fichamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2006 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
CENTRO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO
LICENCIATURA EM LETRAS HAB. PORTUGUÊS – ESPANHOL
TEORIA E PRÁTICA DE LEITURA
PROF.ª MS. JOSSEMAR DE MATOS THEISEN

FICHAMENTO:
LEFFA, Vilson J. Perspectivas no estudo da leitura; Texto, leitor e interação social. In: LEFFA, Vilson J. PEREIRA, Aracy, E. (Orgs.) O ensino da leitura e produção textual; Alternativas de Renovação.Pelotas: Educat, 1999. P. 13-35.

KARIZA DE PINHO VITÓRIA

PELOTAS, 2012
LEFFA, Vilson J. Perspectivas no estudo da leitura; Texto, leitor e interação social. In: LEFFA, Vilson J. PEREIRA, Aracy, E. (Orgs.) O ensino da leitura e produção textual; Alternativas de Renovação. Pelotas: Educat, 1999. P. 13-35.

PERSPECTIVAS NO ESTUDO DA LEITURA
TEXTO, LEITOR E INTERAÇÃO SOCIAL

Fichamentoapresentado a disciplina de Teoria e Prática de Leitura ministrada pela Prof.ª Ms. Jossemar de Matos Theisen pela Universidade Federal de Pelotas, como requisito parcial à obtenção da nota semestral.

PELOTAS, 2012
PERSPECTIVAS NO ESTUDO DA LEITURA
TEXTO, LEITOR E INTERAÇÃO SOCIAL

Palavras-Chave: Leitura, texto, leitor, interação.

O autor pretende passar uma visão completa do fenômenocognitivo/social da leitura, descrevendo a leitura como um processo de interação entre dois elementos de alguma forma.
LEFFA (1999) tenta classificar as linhas teóricas que tratam da leitura em três grandes abordagens: “(1) as abordagens ascendentes, que estudam a leitura da perspectiva do texto, onde a construção do sentido é vista basicamente como um processo de extração; (2) as abordagensdescendentes, com ênfase no leitor e que descrevem a leitura como um processo de atribuição de significados; e, (3) as abordagens conciliadoras, que pretendem não apenas conciliar o texto com o leitor, mas descrever a leitura como um processo interativo/transacional, com ênfase na relação com o outro”.
Apresentar ao leitor o grande “valor” que leitura tem a oferecer, e ainda, que ele não está sozinhodiante do texto, mas está inserido em uma comunidade consumidora de textos e esses podem abrir diversas “portas” para o seu desenvolvimento como cidadão que lê.
O leitor participa ativamente na construção do sentido, onde ler é interagir, desenvolver significado ao texto. Assim observa-se que o processo de leitura é uma interação entre texto-leitor-contexto. O ato de ler, em um determinado momento,deixa de ser um encontro secreto e desinteressante com o texto e passa a ser um encontro permanente com o outro, e chegam mais cedo ou mais tarde, ao momento de revelação, ou seja, passar noites em claro em companhia de um livro. Ao lermos, provocamos uma mudança em nós mesmos, e essa mudança provoca uma mudança no mundo.
A abordagem interativa permite o estudo dos vários elementos que compõem aleitura, de maneira distribuída e equilibrada, evitando a centralização num único foco de interesse.
São examinados de três perspectivas básicas o processo de leitura: o texto, o leitor e a comunidade. Observa-se a leitura inicialmente sob a perspectiva do texto, depois do leitor e por fim da comunidade, essas perspectivas são descritas em uma constante mudança em que interagem durante o processoextremamente complexo da leitura.
O autor demonstra um movimento de complexidade crescente que vai da ênfase inicial do texto, após no leitor e finalmente no contexto social. O estudo do texto foca questões como a frequência de palavras e organização sintática da frase. A ênfase no leitor considera não apenas o que acontece durante a leitura, mas também a experiência de vida que antecede oencontro com o texto. Já no contexto social examina-se a leitura com um fenômeno social restrito a determinadas comunidades e sujeitos às suas normas, regras e restrições.
Entre as décadas de 50 e 60 predominou a perspectiva do texto nos estudos de leitura. Buscava-se a invisibilidade do texto, combatendo com rigor toda e qualquer opacidade. O que se desejava era que o texto, visto como intermediário...
tracking img