Fichamento - a arte da guerra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1673 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de janeiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CIÊNCIA MILITAR | |
|A Arte da Guerra |
|CLAVELL, James. A Arte da Guerra. 26.ed. Rio de Janeiro: Record, 2001, 111p. |
||
|CAPÍTULO I – Preparação dos planos |
| |
|O autor deste livro, Sun Tsu, começa abordando alguns pontos que considera fundamentais para que as batalhas sejamvencidas. |
|Cita cinco fatores constantes que devem ser levados em conta, sendo eles a Lei moral; que é a figura do líder no comando do |
|exército, o Céu; representando a noite e o dia, frio e calor, a Terra; que evidencia as distâncias, o perigo e segurança, o |
|Chefe; representando a sabedoria, coragem, sinceridade, e o Método e Disciplina; que compreende a subdivisões doexército, a |
|graduação dos postos dos oficiais, controle de gastos militares, etc. |
|“O general que vence uma batalha, fez muitos cálculos no seu templo, antes de ser travado o combate. O general que perde uma |
|batalha, fez poucos cálculos antes. Portanto, fazer muitos cálculos conduz à vitória e poucos, à derrota.”(p.20)|
| |
|CAPÍTULO II – Guerra efetiva |
| ||Destaca-se a importância de travar batalhas rápidas, sem perder tempo. Quanto mais tempo demorar uma guerra, mais dinheiro será |
|gasto e mais soldados perderão a vida. Portanto ter uma estratégia boa ajudará a derrotar o inimigo em tempo curto, trazendo |
|menos prejuízos ao exército. Também manter os soldados motivados, como por exemplo, ao tomar um exército adversário, se ||distribua os bens entre os guerreiros, para que sirva como prêmio. |
|“Na guerra, portanto, deixe que seu grande objetivo seja a vitória e não campanhas extensas. Por isso deve ser sabido que o |
|comandante dos exércitos é o árbitro do destino do povo, o homem de quem depende que a nação fique em paz ou em perigo”. (p.24) |
||
|CAPÍTULO III – A espada embainhada |
| |
|O Autor dáênfase na forma de lutar e vencer um inimigo, onde diz que a arte da guerra é vencer a resistência do inimigo sem |
|lutar, ou seja, ganhar uma guerra sem destruir, dominar o inimigo intacto. Um general deve saber a hora de lutar e não lutar, |
|pois no caso de ter superioridade, deve-se render o inimigo, e no caso de inferioridade deve-se traçar um plano de fuga. |
|“Se conhecemoso inimigo e a nós mesmos, não precisamos temer o resultado de uma centena de combates. Se nos conhecemos, mas não|
|ao inimigo, para cada vitoria sofreremos uma derrota. Se não nos conhecemos nem ao inimigo, sucumbiremos em todas as batalhas”. |
|(p. 28) |

|A ARTE DA...
tracking img