Fichamento escola e o conhecimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3294 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FICHAMENTO DO LIVRO: A ESCOLA E O CONHECIMENTO
FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS

A ESCOLA E O CONHECIMENTO
FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS

Introdução
* A Educação esta em crise!
* A crise da Educação tem sido inerente à vida nacional porque não atingimos ainda patamares mínimos de uma justiça social compatível com a riqueza produzida pelo país e usufruída por uma minoria

1-Gêneserecente de uma antiga crise e atuação dos educadores
* O modelo econômico implantado no país a partir de 1964 privilegiou a organização de condições para a produção capitalista industrial e, assim, o poder político central (atendendo aos interesses das elites)
* Assim, a educação pública das últimas décadas (com reflexos no ensino privado) foi um dos desaguadouros do intencional apartheidsocial implementado pelas elites econômicas e é a partir dele que podemos compreender a crise da Educação e a atuação político/pedagógica dos educadores.

2-Educação brasileira, epistemologia política:

Pó que repensar fundamentos dessa articulação?
* A quantidade na Educação passa, necessariamente, pela quantidade. Em uma democracia plena, quantidade é sinal de qualidade social e, se não setem a quantidade total, não se pode falar em qualidade.

* Capítulo 1

HUMANIDADE, CULTURA E CONHECIMENTO

- O que significa ser humano?
- Um passeio pelas nossas origens
- Cultura: O mundo Humano

* Todas e todos que atuamos em Educação, porque lidamos com formação e informação, trabalhamos com o conhecimento.
* Por isso, e para que possamos pensar o tema do Conhecimento e,a partir dele, produzir uma reflexão que nos ofereça mais fundamentos para nossas práticas pedagógicas.

O que significa ser humano?
* O Homem é um animal racional. Essa sentença foi expressa por Aristóteles.
*  Antes dele, seu mestre Platão (427-347 a.C.) houvera definido o Homem como um bípede implume e, no início do século XX, o grande poeta português Fernando Pessoa (1888-1935)elaborou uma definição um pouco mórbida, mas tecnicamente bem precisa: o Homem é um cadáver adiado!
* Somos, antes de mais nada, construtores de sentido, porque, fundamentalmente, somos construtores de nós mesmos, a partir de uma evolução natural.

2-Um passeio pelas nossas origens
* Do ponto de vista da nossa conexão com o meio ambiente, não somos especialistas em nada! Nossa estruturaorgânica é débil, em relação às outras espécies, e nos habilita para poucas das vantagens naturais na luta pela manutenção da vida.
* Comparados a outros seres, somos um animal frágil
* O histórico da evolução biológica tem mostrado que a especialização exclusiva é, muitas vezes, fatal.
* Contudo, qual é o nosso habitat?Cada vez mais em qualquer lugar do planeta e, pouco a pouco, fora deletambém.
* Por não sermos especializados, nos tornamos um animal que teve que se fazer se construir e construir o próprio ambiente.
* Tal como os símios, somos, entre os mamíferos, da ordem dos primatas e, provavelmente, tivemos um ancestral comum, porém, ainda na há provas cabais sobre qual é e quando viveu o primata ancestral.
* Supõe-se que há cinco milhões de anos se iniciou aseparação mais nítida, em distintas linhas evolutivas.
* Nossos ancestrais são o resultado de uma combinação articulada de inúmeros fatores vantajosos: locomoção bípede, área cerebral expandida, aptidão prática de uma linguagem mais elaborada, emprego de ferramentas e sobrevivência gregária.

3-Cultura: o mundo humano
* Lutamos com a natureza e a natureza luta conosco, interferimos nele e elaem nós; é uma relação de reciprocidade a qual conceituamos como contradição (contrários que se inter-relacionam e se interpenetram conflituosamente) humano/mundo.
* O que vai nos diferenciar, de fato, é que só o animal humano é capaz de ação transformadora consciente, ou seja, é capaz de agir intencionalmente
* Essa ação transformadora consciente é exclusiva de ser humano e a chamamos...
tracking img