Fichamento do ensaio "a dramaturgia de jorge andrade"

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2806 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
I Fichamento do ensaio “A dramaturgia de Jorge Andrade”, João Roberto Faria

Jorge Andrade aproveitou as experiências pessoais. Seu terreno é o mundo que traz dentro de si e o instrumento que utiliza para instaurar seu universo ficcional é a memória, não só a memória pessoal e familiar, mas também a memória social.

Memória familiar  tudo que se conhece e se compreende (pessoas,paisagens, conflitos, situações), tudo que pertence ao mundo criado dentro de nós).

Universo ficcional do autor  realiza-se através do diálogo com duas formas de experiências e vivências pessoais:

1ª- A primeira forma diz respeito à relação conflituosa com seu pai, o que se refle no conflito entre pais e filhos, como tema recorrente na sua dramaturgia. Nesse sentido, vale destacar a influência deautores como Ibsen, Eugene O’Neil e Arthur Miller.

2ª- O segundo enfoque relaciona-se à derrocada econômica de sua família e aos abalos sofridos com a crise do café no final da década de 20 e início da seguinte.

Notas bibliográficas
O autor nasceu em Barretos, interior de São Paulo, em 1922, neto e filho de grandes proprietários rurais; teve sua infância e adolescência marcadas pelosproblemas econômicos que os cafeicultores experimentaram com o crack da Bolsa de Nova York em 1929 e a Revolução de 30.
A ruína de sua família, dona de 30.000 alqueires na época do apogeu, serviu-lhe de ponto de partida para investigar o destino da classe social a que pertencia, levando em conta os efeitos da derrocada tanto no campo quanto na cidade (aqui se inspirou em Tchekhov e TennesseeWilliams com alguns temas e formas para exprimir a decadência de alguns fazendeiros).

Entre 1951 e 1970 10 peças enfeixadas no volume Marta, a Árvore e o Relógio.

1ª. peça : O Telescópio

Desagregação e perda dos valores éticos e morais dos descendentes de uma família de proprietários de terras;

 Contraste entre dois grupos → oposição
 Mundo dos pais: alicerçado na tradição rural; Mundo dos filhos: minado pela decadência econômica e distanciado dos antigos valores.

Ex: Velhos no alpendre falam sobre os amigos, a vida no campo e olham as estrelas; enquanto os filhos na sala jogam baralho, bebem, discutem e brigam por causa da herança, compondo um contraste de geração:Velhos: simplicidade, união, humildade
Contraste é doloroso Filho: brigas, oportunismo, ambição



 “Precariedade moral”: na presença dos pais, os filhos discutem a divisão das terras que deverão herdar. O desmoronamento da família completa-se no final com uma cena de explícito simbolismo: um dos filhos bêbado derruba e quebra o telescópio dos pais.Características da peça:

 Padece de certo esquematismo na construção das personagens e da ação dramática;
 Simplificação maniqueísta no confronto estabelecido pais bons, humildes e unidos X filhos ambiciosos, vaidosos e desunidos.
 Sem nuances;
 Maniqueísmo cidade X campo;
 Larga tradição no repertório teatral;
 Mundo rural dos velhos evocado com imagens e termos positivos;
 Mundo urbanodos filhos apenas cores negativas;

Peça: A moratória

 Equilíbrio perfeito entre o maior aprofundamento psicológico dado às personagens e o registro histórico da crise econômica dos cafeicultores paulistas na década de 30.

 Divisão do espaço cênico em dois planos
 Ação 
Ora em 1929, ora em 1932

Por vezes os doisplanos se tornam concomitantes: a ação e espaço ocorrem simultaneamente, ou seja, acontece a convivência entre passado e presente, o que gera a tensão pela presença do confronto de sentimentos antagônicos – esperança/desespero, otimismo/ pessimismo, alegria/ tristeza.
Tal fato acentua a dramaticidade da peça e realça a humanidade das personagens, apreendidas nos momentos mais sofridos de sua...
tracking img