Fichamento capiutlo 2 e 3 - maturana

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1880 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Disciplina Ecologia dos saberes aplicada à pesquisa do Direito

CIÊNCIA E VIDA COTIDIANA
A ONTOLOGIA DAS EXPLICAÇÕES CIENTÍFICAS

Muito embora a palavra ciência signifique conhecimento, atualmente, a mesma tem sido usada como referência ao conhecimento validado através de um método particular, que é o método científico.

O OBSERVADOR E O OBSERVAR

O Autor diferencia o observador,enquanto ser humano, da atitude de observar, que exsurge exatamente das características pessoais do observador, bem como da utilização do seu juízo de “cognição na vida Cotidiana, em suas ações e relações interpessoais.” (fls.125)

O autor ainda esclarece que o que “fazemos ou como operamos nessas coordenações de ações e relações ao gerarmos nossas afirmações cognitivas”(fls.126) é o que nos faz serseres observadores e, a partir daquilo que nos é aceitável (critério particular de aceitabilidade), passamos a construir o chamado conhecimento, que seria o reflexo das ações “distinções, operações, comportamentos, pensamentos” (fls.126) ou reflexões – “adequadas naquele domínio, avaliadas de acordo com nosso próprio critério de aceitabilidade para o que constitui uma ação adequada nele”(fls.127).

Assim, o autor conclui sua definição de conhecimento a partir do seguinte conceito:

“O conhecimento é constituído por um observador como uma capacidade operacional que ele ou ela atribui a um sistema vivo, que pode ser ele ou ela própria, ao aceitar suas ações como adequadas num domínio cognitivo especificado nessa atribuição.” (fls. 127).

Ainda, o autor destaca que as ações (“pensar,andar, falar, ter uma experiência espiritual, e todas as demais manifestações dinâmicas internas do organismo” - fls. 128), as emoções (“disposições corporais dinâmicas que especificam os domínios de ações”- fls. 128), a linguagem (sistema de coordenações consensuais de ações) e a conversação (“redes de coordenações entrelaçadas e consensuais de linguajar e emocionar que geramos ao vivermos juntoscomo seres humanos” – fls. 131) são métodos de produção de ciência, mediante critério cognitivo-humano.

O CIENTISTA E EXPLICAÇÕES CIENTÍFICAS

Segundo o autor, a ciência é uma atividade humana (fls. 132) e desta, necessariamente, mediante a explicação dos fatos pesquisados ou vivenciados, chegamos ao experimento. “Explicações são proposições apresentadas como reformulações de umaexperiência”, afirma o Autor, ao justificar a produção do trabalho cientifico a partir dos critérios de validação que o próprio cientista impôs a si.

Haveria, portanto, uma relação direta entre “domínios explicativos” e “domínios experienciais.” (fls. 133). Ainda, o Autor salienta que, ao expor suas explicações, o cientista buscou sistematizar o critério de validação das suas experiências, mediante criaçãode quatro operações para aceitação da sua praxis enquanto “observador-padrão” (fls. 134). Tais métodos são:

i) “A apresentação da experiência (o fenômeno) a ser explicada em termos daquilo que um observador-padrão deve fazer em seu domínio de experiências.
ii) A reformulação da experiência (o fenômeno) a ser explicada sob a forma de um mecanismo gerativo que, se realizado por umobservador-padrão em seu domínio de experiências, lhe permite, como um resultado ou conseqüência de sua operação, ter em seu domínio de experiências a experiência a ser explicada como apresentada no ponto.
iii) A dedução, a partir da operação do mecanismo gerativo proposto, assim como de todas as coerências operacionais do domínio de experiências de um observador-padrão a ele vinculado, de outrasexperiências que um observador-padrão deveria ter através da aplicação daquelas coerências operacionais e das operações que ele ou ela deve realizar em seu domínio de experiências para tê-las.
i) A experiência (ou resultado), obtidos pelo observador-padrão das experiências (dos fenômenos) deduzidos em através da realização, em seu domínio de experiências.”
(fls. 134).

Ainda, o autor...
tracking img