Fernando pessoa - biografia, e poema com explicação.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (563 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Fernando Pessoa

• Biografia

Fernando Pessoa foi um dos mais importantes poetas da língua portuguesa. nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 13 de junho de 1888. Acompanhou a família para a Áfricae lá recebeu educação inglesa. Em 1901 escreveu seus primeiros poemas em inglês. Fernando Pessoa foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido "plural" como se definiu, criou vários poetas, queconviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidade. Os poetas não são pseudônimos e sim heterônimos, isto é, indivíduos diferentes, cada qual com seu mundo próprio, representandoo que angustiava ou encantava seu autor. Morreu em Lisboa, no dia 30 de novembro de 1935.
As principais obras do autor foram: “Mensagem”, “O cancioneiro”,“Por Ele Mesmo”,“Do livro Desassossego” ediversas outras assinadas por seus heterônimos.

LISBON REVISITED (Lisboa Revisitada) (Álvaro de Campos)

Não: Não quero nada.
Já disse que não quero nada.

Não me venham com conclusões!
Aúnica conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!
Não me falem em moral!
Tirem-me daqui a metafísica!
Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas
Das ciências (das ciências,Deus meu, das ciências!) –
Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?
Se têm a verdade, guardem-a!

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro atécnica.
Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.
Com todo o direito a sê-lo, ouviram?

Não me macem, por amor de Deus!

Queriam-me casado, fútil quotidiano e tributável?
Queriam-me ocontrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para odiabo!
Para que havermos de ir juntos?

Não me peguem no braço!
Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.
Já disse que sou sozinho!
Ah, que maçada quererem que eu seja a companhia!...
tracking img