Expressionismo na arquitetura

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2628 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O EXPRESSIONISMO

Denominam-se genericamente expressionistas os vários movimentos de vanguarda do fim do século XIX e início do século XX que estavam mais interessados na interiorização da criação artística do que em sua exteriorização, projetando na obra de arte uma reflexão individual e subjetiva.
O Expressionismo não se confunde com o Realismo por não estar interessado na idealização darealidade, mas em sua apreensão pelo sujeito. Guarda, porém, com o movimento realista, semelhanças, como uma certa visão anti-"Romantismo" do mundo.
Em uma acepção mais ampla, a palavra se refere a qualquer manifestação subjetiva da criação humana
A arquitetura expressionista foi um movimento arquitetônico que desenvolveu-se na Europa setentrional durante as primeiras décadas do século XXparalelamente às artes visuais e representativas do Expressionismo.
O termo "Arquitetura expressionista" inicialmente descrevia as atividades das vanguardas alemã, neerlandesa, austríaca, tcheca e dinamarquesa desde 1910 até aproximadamente 1924. Subseqüentes redefinições estenderam o termo até 1905 e também ampliaram seu campo de ação para o restante da Europa.
Hoje em dia, o conceito ampliou-se detal modo, que chega a referir-se à arquitetura de qualquer período ou localização que apresente algumas das qualidades do movimento original tais como; distorção, fragmentação ou a comunicação de emoção violenta ou sobrecarga.
O estilo foi caracterizado por uma adoção pré-modernista de novos materiais, inovação formal e volumes extremamente incomuns, algumas vezes inspirados nas formas biomórficasnaturais, algumas vezes por uma nova técnica oferecida pela grande produção de tijolos, aço e especialmente vidros. Muitos arquitetos expressionistas lutaram na Primeira Guerra Mundial e suas experiências, combinadas com as agitações política e social que seguiram-se à Revolução Espartaquista de 1919, resultaram em uma perspectiva utópica e em uma visão romântica do socialismo.

ArquiteturaDepois da Primeira Guerra

Berlim pode ser considerada a segunda capital artística da Europa depois de Paris, no início do século XX. Nenhuma outra cidade reuniu tantos arquitetos de talento acima da média como ela. Arquitetos como Bruno Taut, Mies van der Rohe,Erich Mendelsohn e Walter Gropius eram participantes da sua arquitetura, promoveram e absorveram a revolução estética de grande porte queocorreu, partindo do expressionismo, chegando ao elementarismo e desaguando no Estilo Internacional. Durante os anos da República de Weimar, muitos e diferentes grupos discutiam sobre arquitetura. Muitos deles utilizavam o mesmo vocabulário, diferenciando-se apenas na ênfase, pulando de um estilo para o outro, como do Expressionismo para a Nova Objetividade, etc.
O período da Werkbund testemunhouuma mudança completa na condição do arquiteto na Alemanha. Nesse momento, o arquiteto passou a ser reconhecido como formador do espírito de sua época, deixando de ser completamente subserviente aos clientes e aos contratantes. A guerra interrompeu a continuidade do trabalho dos arquitetos. Mendelsohn por exemplo, contava com 27 anos quando a guerra começou e acabara de se estabelecerprofissionalmente como arquiteto. Dessa forma, ele não tinha uma produção arquitetônica representativa, feita antes da guerra, que pudesse tomar como referência para o seu trabalho quando a guerra acabasse. Os arquitetos expressionistas da escola de Amsterdã, por exemplo, estavam em uma fase de desenvolvimento diferente dos alemães e, portanto, mantiveram ligações com o mundo de antes da guerra e com osmestres anteriores, não sofrendo o mesmo impacto que os alemães. Apesar da crise política e econômica do pós-guerra, a geração de arquitetos que estava ativa no período anterior não se paralisou. Muito pelo contrário, Erich Mendelsohn, Hans Scharoun, Peter Behrens, Hans Poelzig, Mies van der Rohe, Walter Gropius, Bruno e Max Taut, entre outros, deixaram de lado as amarras do funcionalismo e do...
tracking img