Estudo de caso sobre tag

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2586 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA.
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES.
DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA.
DISCIPLINA: PSICOPATOLOGIA I
Professor: RICARDO J. M. LUCENA,
Psiquiatra, M. Sc. Ph. D.





RELATO DE CASO
Transtorno de Ansiedade Generalizada





Rennan de castro
Thales constâncio
José Figueiredo
Pedro Lucas


JOÃO PESSOA
2013
Introdução
O Transtorno deAnsiedade Generalizada (TAG) é considerado um transtorno crônico, caracterizado por ansiedade e preocupação excessivas em diversos eventos e atividades, que trazem grande sofrimento e comprometimento social, familiar e ocupacional.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) foi, por muito tempo, considerado um transtorno residual, ou seja, os pacientes só poderiam ser diagnosticadoscom TAG se não preenchessem critério para nenhum outro transtorno afetivo ou de ansiedade (BARLOW, 1998).

O TAG surgiu a primeira vez como uma entidade nosológica no DSM-II e em 2002, foi lançada a última versão atual do DSM-IV-TR (PEREIRA, 2005). Nesta o TAG se caracteriza por uma ansiedade e preocupação excessivas em diversos eventos, atividades e preocupação com relação ao futuro,ocorrendo em grande parte do dia por pelo menos seis meses. O paciente deve apresentar dificuldades de controlar essa preocupação, sintomas como inquietação, irritabilidade, dificuldade de concentração e tensão muscular,(DSM-IV-TR, 2002).

Essa ansiedade causa grande sofrimento, além de prejuízos relativos a dificuldades na tomada de decisões, relacionamentos disfuncionais,diminuição dodesempenho no trabalho, tendência ao isolamento social (ALLGULANDER, 2007). Além disso, o indivíduo pode apresentar insônia ou sonos perturbadores, bem como sonhos com ansiedade ou temas ansiogênicos do dia a dia. Outro sintoma comum é a ativação motora excessiva, que se caracteriza por sensações de tremores, tensão e dor muscular no pescoço, costas e ombros, uma espécie de inquietude difusa(DUGAS; LADOUCEUR, 2007).

Segundo Dugas e Ladouceur (2007), alguns indivíduos com TAG experimentam expectativas e temores difusos, vagos e negativos, outros têm suas preocupações relacionadas ao fracasso interpessoal ou incapacidade em diversas áreas da vida.

Segundo Dugas e Ladouceur (2007), alguns indivíduos com TAG experimentam expectativas e temores difusos, vagos e negativos,outros têm suas preocupações relacionadas ao fracasso interpessoal ou incapacidade em diversas áreas da vida.

Brown (1997) reporta estudo em amostras clínicas, cujos achados encontrados revelam que mais de 75% dos pacientes com diagnóstico principal de TAG
tem como comorbidade outro transtorno de ansiedade ou de humor. O autor também refere que o transtorno do pânico, transtornos dehumor, como a depressão maior e a distimia, assim como a fobia social e a fobia específica são os transtornos mais frequentemente associados ao diagnóstico de TAG.

Tratamentos atuais com psicofarmacos

Benzodiazepínicos
Existem inúmeros estudos corroborando a eficácia dos BZD no TAG,9 com aproximadamente 35% dos pacientes tratados retornando a níveis normais de ansiedade e outros 40%apresentando melhora moderada.10 O efeito ansiolítico dos BZD pode ser visto nas primeiras seis semanas, sendo esse período de tratamento suficiente para até 50% dos pacientes. Entretanto, uma importante parcela dos pacientes recaem quando a medicação é suspensa após seis semanas, necessitando, assim, de um tratamento em longo prazo. Portanto, uma abordagem lógica seria, após a estabilização da respostainicial, manter o mais baixo possível a dose do BZD, fazendo uma reavaliação constante da necessidade de manutenção do BZD, e mesmo realizar uma tentativa de retirada após seis semanas de tratamento. 10 A retirada do BZD deve ser gradual (aproximadamente 1/4 da dose em uso no momento a cada 1-2 semanas), sendo a probabilidade de sintomas de abstinência mais intensos com BZD de ação curta e alta...
tracking img