Estilos arquiteturais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2098 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Estilos e padrões arquiteturais Estilos Arquiteturais
Silvia Regina Vergilio
Estilos arquiteturais Definem meios de selecionar e apresentar blocos de construção de arquitetura Padrões arquiteturais Projetos de alto nível, testados e validados, de blocos de construção de arquitetura

Shaw, M., Garlan, D. Software Architecture: Perspectives on an Emerging Discipline, Prentice Hall, 1966 F.Buschmann, R. Meunier, H. Rohnert, P. Sommerlad e M. Stahl. Pattern-Oriented Software Architecture - A System of Patterns, NY: John Wiley and Sons, Inc. 1996

Categorias de Estilos de Arquiteturas
• Estrutura (“From mud to structure”)- oferecem decomposição controlada das tarefas em sub-tarefas. Consideram requisitos estáveis e bem definidos. • Sistemas distribuídos – aplicações distribuídas •Sistemas interativos – interação HM. • Sistemas adaptáveis – oferecem suporte para extensão e adaptação de aplicações devido a tecnologias e mudança de requisitos.
F. Buschmann, R. Meunier, H. Rohnert, P. Sommerlad e M. Stahl. Pattern-Oriented Software Architecture - A System of Patterns, NY: John Wiley and Sons, Inc. 1996 D. Garlan and Mary Shaw. An introduction to software architecture. TechnicalReport- CMU-CS94166,Carnegie Mellon University, January 1994.

Estilos Arquiteturais: Taxonomia
Sistemas de Fluxo de Dados Seqüenciais Batch Sistemas de Chamada e Retorno Programa Principal e Sub-rotinas Sistemas OO Componentes Independentes Processos Comunicantes Invocação Implícita (ou Sistemas Baseados em Eventos) Máquinas Virtuais Sistemas Centrados em Dados Bancos de Dados

InterpretadorPipes & Filters

Sistemas Baseados em Regras

Sistemas de Hipertexto

Camadas

Blackboards (QuadroNegro)

Extraído de (SHAW e GARLAN, 1996)

Fluxo de Dados Estilos arquiteturais
Fluxo de dados (Data Flow)
• Originário de sistemas operacionais UNIX e do projeto de compiladores
Ex. Unix Pipes: condutores da saída de um programa para a entrada de um outro programa. > Who | Sort

•1. Sequenciais Batch 2. Pipes & Filters (Dutos e Filtros)

Transformações funcionais processam entradas para produzir saídas.
– Componentes são chamados de filtros: recebem (tratam e refinam) entradas especificadas e transformam essas entradas em saídas Conectores são dutos (pipes) - trasmitem saídas de um filtro para serem entradas de outro



1

1. Seqüências (Batch Sequential)Especialização de pipes &filtros Programas independentes executados em seqüência (pipelines: seqüências linear de filtros)
Um após o outro Dado transmitido por completo entre um programa e outro

Ex: Arquitetura de Compiladores
Análise léxica

–E x Análise : sintática A r q Bytecode u i A$n3* 3N4*# t e t Javac Compilando u r a

Análise semântica

Otimização

Geração de códigoArquivos fonte

Arquivo Jar

class{ }

000 1001 1001

Jar
Empacotando

Java
executando

2. Pipes & Filters (Dutos e Filtros)
FILTERS B A C E PIPES D

Ex: Sistema de processamento de faturas

• Tipo mais geral – não precisa ser sequencial • Pipes tipados – os tipos passados entre dois filtros tem um tipo bem definido.

Características: Dutos e Filtros
• Vantagens
– Útil paraaplicações de processamento de informação que interagem pouco com usuários – Rápida prototipação – Apóia reúso de transformações (filtros) – É fácil adicionar, recombinar, ou trocar, novas transformações (flexibilidade) – É relativamente simples implementar como sistema concorrente (vários filtros em paralelo) ou seqüencial – Eficiência em processamento

Características: Dutos e Filtros
• Desvantagens– Requer um formato comum para a transferência de dados ao longo do pipeline – Não é apropriado para aplicações interativas – Não existe compartilhamento de dados – Ausência de gerenciamento de erros.

2

Implementação
– Divida as tarefas do sistema em uma sequência de estágios de processamento
• Cada estágio deve depender somente da saída do seu predecessor • Todos os estágios são...
tracking img