Estatistica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1479 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INDICE
Introdução Pagina 3
Desenvolvimento do trabalho (SIDA) Página 4 a 10
Soluções para combater a discriminação Página 11
Conclusão Página 12
Anexo 1 (Inquérito) Página 13
Bibliografia Página 14

Introdução
Este trabalho surgiu no âmbito da disciplina de matemática e tem como finalidade a reflexão do tema SIDA, em termos estatísticos.
Este estudo estatístico foielaborado para a população estar a par do número de caso de sida em Portugal, relativamente aos anos de 2000 a 2009. É destinado à população em geral, mas principalmente aos jovens para desde já saberem os riscos que correm por não terem os cuidados que deveriam. Para analisarmos a opinião e os conhecimentos da população, realizámos uma pesquisa estatística através de um questionário (anexo 1)fechado, aberto e semi-aberto, onde aplicamos a variável qualitativa. Este questionário foi feito a 50 indivíduos: 28 do sexo feminino e 22 do sexo masculino, escolhidos aleatoriamente na região de Santa Comba Dão, de ambos os sexos, dos 15 aos 25 anos.
Sabemos que a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (SIDA) matou mais de 20 milhões de pessoas nos últimos 20 anos e, até hoje, não foi possívelencontrar nem uma cura nem uma vacina eficaz para lutar contra esta ameaça que afecta pessoas de todas as idades, em todos os continentes.
Com isto, pretendemos mostrar quantas pessoas por ano são infectadas pelo vírus da sida, e apresentar as opiniões da nossa sociedade perante este assunto que tanto afecta crianças recém-nascidas como pessoas de idade, alertar a população sobre estes valores tãoelevados e assim consciencializarem-se, terem e tomarem sempre medidas de precaução e também chamar a atenção e alertar a sociedade portuguesa para a discriminação de pessoas portadoras deste vírus.

Dados Estatísticos
Para começar, pesquisámos no site estatístico PORDATA casos de sida em Portugal desde do ano 2000 a 2009, e elaborarmos a seguinte tabela:

Nº de casos de sida desde o ano de2000 até 2009
  | |
Anos | Frequência absoluta simples (fi) | Frequência absoluta acumulada (Fi) | Frequência relativa simples (fri) | Frequência relativa acumulada (Fri) | Percentagem (%) |
2000 | 1049 | 1049 | 0,13 | 0,13 | 13,40% |
2001 | 1037 | 2086 | 0,13 | 0,26 | 13,25% |
2002 | 1051 | 3137 | 0,13 | 0,40 | 13,43% |
2003 | 957 | 4094 | 0,12 | 0,52 | 12,23% |
2004 | 831 | 4925 |0,11 | 0,63 | 10,62% |
2005 | 797 | 5722 | 0,10 | 0,73 | 10,18% |
2006 | 682 | 6404 | 0,09 | 0,81 | 8,71% |
2007 | 584 | 6988 | 0,07 | 0,89 | 7,46% |
2008 | 543 | 7531 | 0,07 | 0,96 | 6,94% |
2009 | 297 | 7828 | 0,04 | 1,00 | 3,79% |
TOTAL | 7828 |   | 1 |   | 100% |

Nesta tabela observa-se que ao longo dos anos o número de casos de SIDA foi reduzindo, porém a quantidade de casospor ano ainda é preocupante. E não se esqueça que este estudo só tem por base Portugal, se fossemos a fazer este estudo à escala mundial os dados não seriam tão baixos.

E ainda para tornar estes dados mais apelativos, decidiu-se construir um gráfico de barras e um gráfico circular.

Com estes dados observa-se que em média 782,8 indivíduos adquiriram VIH durante 9 anos. O ano mais baixo é2009, com 297 indivíduos (valor mínimo - minX), e o ano mais elevado é 2002, com 1051 indivíduos (valor máximo - maxX). Verifica-se que o ano de 2002 foi o ano em que se registou mais casos, isto em termos estatísticos designa-se de moda.
Utilizando todos dados matemáticos:
Q1= 584; a Mediana (Q2) = 814; Q3= 1037

Desvio padrão = 241,55 (aproximadamente), apresenta uma diferença de 541,25 emrelação à média.

Interpretando os dados do questionário deparámo-nos com os seguintes resultados:
Indivíduos do sexo feminino

Questão 1: 16 responderam SIM
12 responderam NÃO

Questão 2: 14 responderam
14 não responderam

Questão 3: 5 responderam SIM
23 responderam NÃO

Questão 4: 10 responderam que tentavam ser “solidárias”
18 responderam que “ignoravam a pessoa infectada”....
tracking img