Entrevista pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4395 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Só para começar: não, eu não sou feminista. Na verdade, não sou muito fã de ideologias extremistas. Elas costumam ser perigosas, se aplicadas ao pé da letra. Mas, como mulher do século XXI, não posso deixar de me incomodar com algumas atitudes bem machistas que ando vendo por aí. Digamos que eu luto por igualdade, apenas, entre homens e mulheres. E por isso o artigo.
Então comecemos.
Há certascoisas na série de Meyer que me chamaram a atenção quando eu li (sim, meus amores, eu li). Uma delas é a maneira como as mulheres são retratadas nos livros. Afinal, é um livro com uma protagonista feminina, escrito por uma mulher, certo? É, até esse ponto sim. Quando eu peguei o livro para ler, eu esperava ver uma visão feminina sobre a vida e sobre a história dos vampiros. Confesso que até fiqueiempolgada com a idéia.
Até terminar de ler Crepúsculo.
Quando li a última página do livro, confesso que estava me sentindo um tanto… incomodada. Nem tanto pela história ruim, ou pelo tédio, ou pelos personagens chatos. Mas pela forma como as mulheres daquele livro se comportavam. Pela forma como BELLA, a protagonista, se comportava. Eu fiquei MUITO incomodada (cof-ofendida-cof). Sentia como seestivesse lendo uma história do século XVIII. E nada contra os livros daquela época (nada MESMO), mas bem… estamos em 2009. A história se passa no nosso século. E foi aí que comecei a raciocinar comigo mesma. Ok, Stephenie Meyer já declarou que se inspirou nela mesma para fazer a Bella. Logo, significa que ela se comporta como a Bella. Concluindo: ela se comporta como uma mulher do século XVIII.Ok, eu sei que boa parte disso se deve ao fato de Meyer ser mórmon. Nada contra os valores e a religião dela. Mas quando se escreve um livro, creio que os valores e crenças do autor não devem interferir na história (pelo menos não TANTO), tendo em vista que irá influenciar muitos leitores que ainda estão formando caráter. Mas no caso de Twilight, nem precisamos dizer que os valores estão mais doque claros.
Bem, sobre Twilight ser machista, racista e outras coisas, nem vale a pena discutir no momento. Há imensos e bons artigos logo abaixo, falando sobre o assunto. Hoje, acho que seria melhor mostrarmos como as mulheres mudaram em todo esse tempo, e como se tornou decididas, livres, donas de seus próprios prazeres e vontades, e pouco a pouco estão alcançando sua independência e igualdadecom os homens. Acho válido mostrar a luta de tantas mulheres que morreram por essa causa, para que hoje pudéssemos ser mais do que dona de casas reprodutoras. E claro, também mostrar como Meyer é retrógada e influencia as garotas a também serem.
Uma discussão digna em pleno 8 de Março, não é mesmo?
Muito bem, acho melhor começarmos do início.
Por incrível que pareça, mulherada, o primeiro adefender nossa igualdade perante o sexo masculino foi um homem. Isso aconteceu em 1529, quando Cornélio Agripa lançou o seu livro, De Nobilitate et Praecellentia Feminae Sexus (Da Nobreza e Excelência do Sexo Feminino). Mas por que, em plena decadência da Idade Média, Agripa, HOMEM, resolveu lançar essa obra? Bem, a razão foi simples. Durante a Idade Média propriamente dita, havia o conceito, defendidoprincipalmente pela Igreja Católica, de que a mulher era “naturalmente inferior” ao homem. Notem o “naturalmente”. Trata-se de uma questão física, de nascimento. A mulher, segundo a Igreja, havia sido criada para ser inferior ao homem, e por isso, por exemplo, não poderia exercer cargos de sacerdócios, que eram os mais altos da sociedade da época. A maior prova desse conceito foi dado por SãoTomás de Aquino, quando questionado porque o escravo podia ser sacerdote, e a mulher não. A resposta foi essa: “o escravo é ’socialmente inferior’, enquanto a mulher é ‘naturalmente inferior’”. Ou seja: não importava a condição social que a mulher teria naqueles tempos. Ela nascera para ser inferior aos homens, e por isso jamais poderia exercer cargos como o dele.
Até em uma atitude de reação aos...
tracking img