Engenharia civil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1612 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Era véspera de natal quando uma senhora, num dia de tempestade, abandonou a sua filha de 9 anos, por não ter possibilidades de tomar conta dela.
Deixou a menina na rua e disse-lhe para não sair daquele lugar ate alguém encontra-la. Apesar de desgostosa a mãe deu um último beijo à filha e começou a correr lavada em lágrimas. A menina não consegui deixar de olhar para o desvanecer da mãe aolongo da rua.
Passado um tempo apareceu uma senhora com um guarda-chuva, muito apressada devido ao tempo, mas ao reparar na menina, que ali estava, abandonada e cheia de frio, foi ter com ela e aconchegou-a com o seu casaco. Depois perguntou-lhe pela mãe e a menina começou a chorar, a senhora acariciou-a e levou-a consigo. Passaram-se 5 anos e a menina, que agora é uma jovem (14 anos), nunca sereformou de ter sido abandonada pelos pais biológicos e odeia o natal, porque pensar em qualquer música, efeito ou palavra que tenha a ver com esta época faz-lhe lembrar o trágico acontecimento da sua vida.
Apesar de gostar muito dos seus pais adotivos, queria muito voltar a estar com a sua mãe biológica, mal sabia ela que em casa dos seus pais adotivos trabalhara a sua mãe de sangue, sem sabermuitas vezes desabafava com ela.
No dia em que fazia 5 anos em que a menina tinha passado pela separação da mãe, foi a uma consulta de rotina do médico, nas quais o diagnóstico foi péssimo pois encontraram-lhe um cancro no sangue.
A menina não conseguiu sobreviver, pois a doença evoluíra rapidamente, ambas as mães ficaram destroçadas, sobretudo a mãe biológica que estava prestes a contar toda averdade…

Era véspera de natal quando uma senhora, num dia de tempestade, abandonou a sua filha de 9 anos, por não ter possibilidades de tomar conta dela.
-Mãe, para onde me levas?!
-Filha, não me faças perguntas…
Deixou a menina na rua e disse-lhe para não sair daquele lugar ate alguém encontra-la.
-Pequenota não saias daqui, alguém te irá dar tudo o que necessitas, eu tenho fé!Apesar de desgostosa a mãe deu um último beijo à filha e começou a correr lavada em lágrimas. A menina não consegui deixar de olhar para o desvanecer da mãe ao longo da rua.
-Mamã?! Mamã? Onde vais? Espera por mim!...

Passado um tempo apareceu uma senhora com um guarda-chuva e muito apressada devido ao tempo, ao reparar na menina, que ali estava, abandonada e cheia de frio, foi ter com ela eaconchegou-a com o seu casaco.
-Estás aqui sozinha?
-Linda, onde está a tua mãe?
(Menina chora)
-Pronto, pronto. Levo-te para casa e depois logo vejo o que posso fazer.
-------------------------------------------------

-Queria tratar dos documentos com a assistente social, ela já está informada, é sobre a adoção da criança.
-Com certeza, minha senhora é só uns instantes.____________________________________________________

Passado 5 anos
-Filha, vamos fazer as compras de Natal?
-Mãe, já te pedi, não me fales nessa data horrível!
-Desculpa querida, mas sabes que tens de ultrapassar isto, mas ano menos ano e já passaram 5 anos!
-Mãe, perdoa-me mas não dá.
____________________________________________________
-O que é que se passou aqui?
-Até parece que não sabes!-Calma…
-Talvez devêssemos leva-la a um psicólogo, sozinha ela não está a conseguir ultrapassar a perda da mãe.
-Eu encarrego-me do psicólogo.
-Obrigada amor.
_____________________________________________________
-Filhota, podemos falar?
- É sobre o Natal que não é Bestial?!
-Também querida.
-Então não quero ouvir nem uma palavra!
-Não sejas malcriada Maria!
-Não o sou, conhecem-meà 5 anos e ainda não me conseguem compreender!
-É sobre isso mesmo que queria falar contigo…
-Aí o que será que vem dai.
- Sabes que para a semana é a véspera…
-Nem precisas de continuar, sei sim.
-Também sabes que tens consulta de rotina no médico nesse dia, já que não gostas de fazer coisas que as pessoas normais fazem nessa altura.
-PAI!
primeiro: eu sou normal.
segundo: sou...
tracking img