Economia da primeira grande guerra

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2136 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Primeira guerra mundial



Período que se estendeu de 1914 a meados de 1950 marca o fim da hegemonia europeia sobre a economia-mundo com sua substituição pelos EUA.
As razões subjacentes da primeira guerra mundial foram de ordem econômica. A busca por mercados de investimentos e o enorme crescimento econômico da Alemanha forneceram as razões primárias para o que pode serdenominada de guerra para uma redivisão de mercados.
Durante quatro anos as principais nações industriais europeias se enfrentaram em uma guerra sem trégua, do qual participaram EUA e Japão a partir de 1917. Desorganizou o comércio internacional, causou o colapso do Império Russo, houve um crescente papel do Estado sobre a atividade econômica.
Os preparativos bélicos estavamprontos, já os de ordem econômica eram inexistentes, pois se pensava que a guerra seria de curta duração. Já em fim de 1914, o conflito juntou politicamente todos os continentes e transformou-se em luta econômica entre os aliados e o bloco alemão, obrigando o Estado a intervir na economia a fim de assegurar alguma possibilidade de vitória.
No início dos anos 1910, os dois blocos estavamformados: Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria-Hungria e Itália) e a Tríplice Entente (Inglaterra, França e Rússia).




Economia de Guerra




A primeira guerra mundial representou, em todos os níveis do sistema econômico, uma brusca alteração de métodos e padrões, o que ocorre em parte, porque o mundo esperava uma guerra de curta duração, o que obrigou a alteraçõesviolentas na sociedade e no Estado em pleno desenvolvimento do conflito. Em função dela, aumentará o ritmo da produção em massa, da mecanização, da centralização das empresas, da emissão monetária, da produção armamentista e, principalmente, da ação do Estado. De qualquer forma, a partir de 1915 a estratégia dos aliados era sufocar o bloco alemão através de um bloqueio total ao seu comercio exterior. Obloqueio marítimo obriga as nações a se tornarem autossuficientes, um retrocesso em relação à divisão internacional do trabalho do período anterior. A necessidade de controlar a distribuição de mão de obra, alimentos e armas leva a criação de inúmeras comissões, agencias e comitês. Em 1914 é criado o departamento de matérias-primas para a guerra que efetuam uma política de direcionamento dasmatérias primas para a indústria de armamentos, organiza a exploração nos territórios ocupados, incentiva a descoberta de novos métodos produtivos e, principalmente, desenvolve a utilização de substitutivos para as matérias primas mais raras, apoiado na enorme indústria química alemã. Tanto a Inglaterra quanto a França, ao contrário, quando se viram obrigadas a expandir suas indústrias bélicas,constataram que grande parte de seus recursos industriais estava obsoleta, além de carecer de toda uma gama de indústrias mais modernas. O resultado foi uma dependência cada vez maior da Inglaterra e da França, com relação à produção especializada da Suíça, da Suécia e principalmente dos EUA.
A mão de obra foi um problema adicional, o que obrigou o fechamento de fábricas e a alta do desempregoque se alia aos refugiados das zonas de ocupação. O funcionamento do esforço de guerra por outro lado obrigou o aumento dos impostos e a emissão de bônus públicos. (em 1918 a guerra custava 10 milhões de dólares por hora).
O trabalho feminino será valorizado e posteriormente o direito de voto lhes será garantido. O Estado se transformará no provedor-mor para solucionar os problemas geradospelo abastecimento e pelo armazenamento.




Os efeitos da Guerra




1 – A Europa perderia sua posição hegemônica para os EUA que seriam credores da incrível soma de mais de quatro bilhões de dólares. A tarefa principal da Europa em 1918 era a da sua reconstrução econômica.
2 – O Japão foi um dos grandes beneficiários do conflito, acumulando uma reserva em ouro no...
tracking img