Dinamica de grupo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1453 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
DINAMICA DE GRUPO
DISCURSSÃO SOBRE O CAPITULO O9

Priscila Magalhães fez uma síntese crítica da teoria dos grupos de Georges Lapassade, tentando localizar o autor dentro de várias correntes, principalmente as que travam luta com o Marxismo.
As principais teses de Lapassade são agrupadas em 03 tópicos:
1. A dialética dos grupos, organizações e instituições, tem bases teóricas nafenomenologia de Hegel e na crítica dialética de Sartre.( fusão de grupos)
2. Burocracia e x Autogestão
3. Evolução da noção de instituição, e das formas de intervenção que recebe influência da corrente da psicologia institucional de 1971 á 1974 e retoma as teses de Reich.

Em relação ao primeiro tópico Lapassade afirma em seu livro escrito com Lourau -Grupos,organizações e instituiçõesque existe uma interdependência entre esses três conceitos e a realidade social.

Do ponto de vista tópico e dinâmico, para Lapassade o grupo representa o nível da base da vida quotidiana, ou seja é onde se situa a prática sócioanalítica da análise de intervenção, pois já existe nessa forma uma instituição: horários,ritmos, normas, sistemas de controle estatutos, papeis. Tudo o que Marx chama decomando do capital na empresa.

Lapassade afirma que o poder doEstado está presente nos grupos, embora encoberto.

O segundo nível o da organização é responsável pela mediação entre o grupo e o Estado .
O terceiro nível é o nível da instituição num sentido jurídico e político,ou seja , num sentido de forças da lei. O que institui na nossa sociedade está do lado do Estado.
Parfa Lapassade aorigem e osentido do que se passa nos grupos não está somente no que é visível, mas há uma dimensão oculta, não analisada e portanto determinante, a que ele chama de dimensão institucional.
Por dimensão institucional ficou propostpo emn 1963 que seria o método que visa revelar nos grupos aquilo que está oculto de sua vida e do seu funcionamento.
Lapassade critica com Sartre Kurt lewinquando diz que a totalidade é uma característica feita dos grupos independente dos atos totalizadores,para este a função dos grupos é de totalizar práticas individiuais sem jamais ser uma totalidade.
Sartre fala do processo de serialidade (séries) que faz oposição ao que ele chama de grupo na gênese ideal .
A série seria um conjunto humano sem unidade interna.Ex .uma fila pra coprar um bilhete.Já no grupo existe uma fusão onde cada um é mediador e ao mesmo tempo mediado, ou seja, não existe condição privilegiada.
Portanto a vida do grupo constitui-se de uma tensçao permanente entre a serialização e a totalização, mas isso é o motor da dialética dos grupos.
Quando um grupo não tem mais objetivos para atingir dispersa-se e morre, volta a seriação, ao prático-inerte.
A prática do grupose transforma em instituição no momento em que o grupo se torna impotente para modificar aquilo que está se tornando inerte. Surge nesse momento a figura do poder, a autoridade de comando, ou seja , a burocracia.

BUROCRACIA X AUTO-GESTÃO
LAPASSADE estudou esses conceitos seguindo o modelo de Turaine que envolve três fases:

FASE A : SOCIEDADE INDUSTRIAL E CAPITALISTA DO SEC XIX
O trabalhoé parcelado mas organizado pelos sindicatos, onde são governados por uma aristocracia profissional, com número restritos de militantes e são pouco burocratizados.
Nessa fase são elaboradas as primeiras doutrinas sociológicas e políticas da nova sociedade.
Principais teóricos:
* Fourier
* Proudhon
* Saint-Simon
* Augusto Comte
* Karl Marx

Fourier é visto como precursor dapsicossociologia dos pequenos grupos e técnicas de grandes grupos.

Proudhon critica a “utopia “ de Fourier por pretender transformar a sociedade a partir de pequenos grupos.

Marx critica Proudhon pois suas idéias são como uma construção abstrata e sem fundamento.

Lapassade concorda com Gurvitch quando este afirma que Proudhon anuncia melhor que Marx a auto-gestão social, o sistema...
tracking img