Difteria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1160 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
DIFTERIA ( CID 10 – A83 )
* DEFINIÇÃO: É UMA DOENÇA TRANSMISSÍVEL, POR VIA RESPIRATÓRIA, AGUDA, TOXIINFECCIOSA, CAUSADA POR BACILO TOXIGÊNIO, QUE, FREQUENTEMENTE, SE ALOJA NAS AMÍGDALAS, FARINGE, LARINGE, NARIZ E, OCASIONALMENTE, EM OUTRAS MUCOSAS E NA PELE. SEU SINONIMO É CRUPE. TEM COMO RESERVATÓRIO O HOMEM DOENTE OU PORTADOR ASSINTOMÁTICO. É UMA DOENÇA DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA.OCORRE EM MAIOR FREQUÊNCIA EM ÁREAS COM BAIXAS CONDIÇÕES SÓCIO-ECONÔMICAS E SANITÁRIAS, ONDE A COBERTURA VACINAL É BAIXA.
* AGENTE ETIOLÓGICO: CORYNEBACTERIUM DIPHTHERIAE, BACILO GRAM-POSITIVO, PRODUTOR DA TOXINA DIFTÉRICA, QUANDO INFECTADO POR UM FAGO.
* MODO DE TRANSMISSÃO: É RESPIRATÓRIO, FEITO PELO CONTATO DIRETO DA PESSOA DOENTE OU DO PORTADOR COM PESSOA SUSCETÍVEL ATRAVÉS DE GOTÍCULASDE SECREÇÃO ELIMINADAS POR TOSSE, ESPIRRO OU AO FALAR. A TRANSMISSÃO POR OBJETOS RECÉM-CONTAMINADOS COM SECREÇÕES DO DOENTE OU DE LESÕES EM OUTRAS LOCALIZAÇÕES É POUCO FREQUENTE.
* PRECAUÇÕES: ATRAVÉS DA VACINAÇÃO. A IMUNIDADE PODE SER NATURALMENTE ADQUIRIDA PELA PASSAGEM DE ANTICORPOS MATERNOS VIA TRANSPLACENTÁRIA, QUE PROTEGEM O BEBÊ NOS PRIMEIROS MESES DE VIDA, OU ATRAVÉS DE INFECÇÕESINAPARENTES ATÍPICAS, QUE CONFEREM IMUNIDADE EM DIFERENTES GRAUS. DEVE SER USADO NO AMBIENTE HOSPITALAR PRECAUÇÃO DE GOTÍCULAS E PADRÃO PARA DIFTERIA FARINGEA E PARA DFTERIA CUTÃNEA UTILIZAR PRECAUÇÕES PADRÕES E CONTATO.
* PERÍODO DE INCUBAÇÃO: É DE UM A SEIS DIAS, PODENDO SER MAIS LONGO.
* PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE: ATÉ DUAS SEMANAS APÓS O INÍCIO DOS SINTOMAS, EM MÉDIA. AANTIBIOTICOTERAPIA ADEQUADA ERRADICA O BACILO DIFTÉRICO DA OROFARINGE, DE 24 A 48 HORAS APÓS A SUA INTRODUÇÃO, NA MAIORIA DOS CASOS. O PORTADOR CRÔNICO NÃO TRATADO PODE TRANSMITIR A INFECÇÃO POR 6 MESES OU MAIS E É EXTREMAMENTE IMPORTANTE NA SUA DISSEMINAÇÃO DA DOENÇA. PERMANECER EM ISOLAMENTO ATÉ QUE DUAS CULTURAS DE EXSUDATO DE NASO E OROFARINGE SEJAM NEGATIVAS. RECOMENDA-SE O ISOLAMENTO RESPIRATÓRIO PORGOTÍCULAS DURANTE 14 DIAS, APÓS INICIO DA ANTIBIOTICOTERAPIA, EM QUARTO SEPARADO, COM PESSOAS PORTADORAS DA MESMA DOENÇA (USAR MÁSCARA COMUM).
* QUADRO CLÍNICO: MANIFESTA-SE PELA PRESENÇA DE PLACAS PSEUDOMEMBRANOSAS BRANCO-ACINZENTADAS ADERENTES, QUE SE INSTALAM NAS AMÍGDALAS E INVADEM ESTRUTURAS VIZINHAS. ESSAS PLACAS PODEM SE LOCALIZAR NA FARINGE, LARINGE E FOSSAS NASAIS, E, MENOSFREQUENTEMENTE NA CONJUNTIVA, PELE, CONDUTO AUDITIVO, VULVA, PÊNIS E CORDÃO UMBILICAL. HÁ UM COMPROMETIMENTO DO ESTADO GERAL DO PACIENTE, COMPROSTRAÇÃO E PALIDEZ, DOR DE GARGANTA DISCRETA, E FEBRE ( 37,5º - 38,5º ). EM CASOS MAIS GRAVES HÁ AUMENTO DO PESCOÇO ( PESCOÇO TAURINO ), POR COMPROMETIMENTO DOS GÂNGLIOS LINFÁTICOS DESSA ÁREA E EDEMA PERIGANGLIONAR NAS CADEIAS CERVICAIS E SUBMANDIBULARES. DEVIDO AISSO, PODE OCORRER ASFIXIA MECÂNICA AGUDA NO PACIENTE, EXIGINDO UMA TRAQUEOSTOMIA. OS CASOS GRAVES E TÓXICOS SÃO DENOMINADOS DIFTERIA HIPERTÓXICA ( MALIGNA), QUE DESDE O INÍCIO APRESENTAM COMPROMETIMENTO DO ESTADO GERAL, PLACAS COM ASPECTO NECRÓTICO E PESCOÇO TAURINO. O BACILO NÃO-TOXIGÊNICO DISSEMINA O CORYNEBACTERIUM DIPHTHERIAE MAS NÃO SE OBSERVA SINAIS DE TOXEMIA.
* DIAGNÓSTICO: ISOLAMENTOE IDENTIFICAÇÃO DO BACILO, MESMO SEM AS PROVAS DE TOXIGENICIDADE, ASSOCIADOS AO QUADRO CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO. PODE SER FEITO O DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL E LABORATORIAL.
* DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
* DIFTERIA CUTÂNEA – IMPETIGO, ECTIMA, ECZEMA, ÚLCERAS;
* DIFTERIA NASAL – RINITE ESTREPTOCÓCICA, RINITE SIFILÍTICA, CORPO ESTRANHO NASAL;
* DIFTERIA AMIGDALIANA OU FARÍNGEA – AMIGDALITEESTREPTOCÓCICA, ANGINA MONOCÍTICA, ANGINA
* DE PLAUT VICENT, AGRANULOCITOSE;
* DIFTERIA LARÍNGEA – CRUPE VIRAL, LARINGITE ESTRIDULOSA, EPIGLOTITE AGUDA, INALAÇÃO DE CORPO ESTRANHO.
* DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:
* REALIZADO MEDIANTE A IDENTIFICAÇÃO E ISOLAMENTO DO C. DIPHTHERIAE ATRAVÉS DE CULTURA DE MATERIAL,
* COLHIDO COM TÉCNICA ADEQUADA, DAS LESÕES EXISTENTES (ULCERAÇÕES,...
tracking img