Dfserw

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (578 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Barroco: Poetas Barrocos Brasileiros.

Professora: Shirliane Aguiar
Dupla: Raiane Darla e Beatriz Cipriano
Matéria: Português.

Umirim 2013
A Poesia Feita No Brasil No Período Barroco
Oestilo barroco nasceu em decorrência da crise do Renascimento, ocasionada, principalmente, pelas fortes divergências religiosas e imposições do catolicismo e pelas dificuldades econômicas decorrentesdo declínio do comércio com o Oriente.
Todo o rebuscamento presente na arte e literatura barroca é reflexo dos conflitos dualistas entre o terreno e o celestial, o homem (antropocentrismo) e Deus(teocentrismo), o pecado e o perdão, a religiosidade medieval e o paganismo presente no período renascentista.
Os mais significativos poetas são: Bento Teixeira, Manuel Botelho de Oliveira,Gregório de Matos e Sebastião da Rocha Pita.
Bento Teixeira: O barroco no Brasil tem inicio “oficialmente” no século XVII, entretanto, na poesia, é em Bento Teixeira que se dá o primeiro movimento. BentoTeixeira nasceu no Porto em 1561 e veio ao Brasil aos cinco ou seis anos em companhia dos pais.
Trecho do Canto de Proteu. “Pelos ares retumbe o grave acento De minha rouca voz, confusa e lenta,Qual trovão espantoso e violento De repentina e hórrida tormenta; Ao Rio de Aqueronte turbulento, Que em sulfúreas borbulhas arrebenta, Passe com tal vigor, que imprima espanto Em Minos rigoroso eRadamento.”
Gregório de Matos: Nasceu em Salvador, Bahia, possivelmente em 1636 (outros biógrafos apontam 1623 ou 1636), em uma família abastada de proprietários da administração colonial. Estudou noscolégios jesuítas e, posteriormente, prossegue os estudos em Coimbra, sendo graduado em Cânones (como se chamava o estudo de Teologia na época) no ano de 1661 e casa-se com D. Micaela de Andrade, de umafamília de magistrados. Gregório merece um estudo mais aprofundado, mas somente nesta semana veremos quem foi o Boca de Inferno. Poesia: A umas Saudades
Mote
  “Parti, coração,...
tracking img