Desigualdade e pobreza no brasil: processo de 1930-1980. e no espírito santo: processo de 1950-1980

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3773 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE VILA VELHA





ARTIGO:
DESIGUALDADE E POBREZA NO BRASIL: PROCESSO DE 1930-1980.
E NO ESPÍRITO SANTO: PROCESSO DE 1950-1980





Aluna: Samira Rebuli Paiva - J1M
Professor: Rafael Simões






VILA VELHA
2012
INTRODUÇÃO

Este artigo tenta explicar o processo histórico, a partir da década de 1930, que tornou o Brasil um dos países mais desiguais do mundomesmo sendo rico e tendo alcançado níveis de desenvolvimento econômico superiores a de países desenvolvidos. Não tentando enquadrar o Espírito Santo no mesmo cenário nacional, mas procurando em quais momentos ele não seguiu o mesmo rítmo do desenvolvimento econômico e as particularidades econômicas desse estado que o trouxeram até o cenário socioeconômico atual.
Isso utilizando partes de umapesquisa de âmbito nacional sobre percepções a respeito da desigualdade, a qual faz parte do Programa Internacional de Surveys Sociais (International Social Surveys Programme - ISSP) e que foi base de estudos feitos e publicados no livro Exclusão e Mobilidade Social no Brasil.
Algumas informações retiradas pela internet também foram utilizadas para o desenvolvimento deste artigo como os dados da CERB(Center for Economics And Business Research), do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômico Aplicada), do Coeficiente de Gini e o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) calculado pelo Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (Pnud) da Organização das Nações Unidas (ONU). Tabelas de resultados de pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também foram utilizadas comofontes de dados sócioespaciais.
Os panoramas econômicos foram desenvolvidos a partir do livro Industrialização e empobrecimento urbano: O caso da grande Vitória (1950-1980) da autora Maria da Penha Smarzaro Siqueira, a qual, para desenvolver a teoria do empobrecimento na grande Vitória explanou a respeito do desenvolvimento econômico do Brasil para situar o leitor e encaixar o estado do EspíritoSanto em alguma parte desse processo que explique no mínimo, porém coerentemente, a situação atual de desigualdade social.
O artigo abordará também a teoria da sociedade de méritos pode explicar a tolerância do brasileiro com a desigualdade social existente no país, assim como a aceitação do sistema em que está inserido. Essa teoria se encontra no livro Exclusão e Mobilidade Social no Brasil.INTRODUÇÃO A DESIGUALDADE NO BRASIL

O Brasil, a pesar do grande desenvolvimento econômico dos últimos anos, ainda é um dos países mais desiguais do mundo.
Em 2011 o Brasil tornou-se a sexta maior economia do mundo, ultrapassando a Grã-Bretanha, e ficando atrás das grandes potências, na ordem decrescente, Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França segundo uma classificação do instituto depesquisa CEBR (Centre for Economics and Business Research). Além disso, em 2010 o PIB brasileiro registrou um dos maiores valores da última década, 7,5%. No continente americano ele é segunda maior economia, perdendo apenas para os Estados Unidos.
As melhores expectativas econômicas, segundo o banco de investimento Goldman Sachs, levam a crer que o Brasil se tornará a quarta maior economia mundial em2050. Fazendo parte de blocos econômicos como o MERCOSUL, UNASUL, o G8+5, o G20 e o Grupo de Cairns, ele aumentou a competitividade dentre os países emergentes, superando a Índia e a China. O bloco econômico dos países emergentes BRICS é a mais nova sensação do mercado econômico e o Brasil tem sido o protagonista em acordos com as potências européias e os Estados Unidos.
Na contramão dodesenvolvimento econômico estava a estagnação do desenvolvimento social até meados de 2001. Até essa data, 25 anos haviam se passado e o Brasil possuía a pior distribuição de renda do planeta em que os 10% mais ricos ganham 28 vezes a renda dos 40% mais pobres, segundo pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). A pesquisa ainda apontou que os 10% mais ricos da população brasileira se...
tracking img