Desgualdade entre os homens

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (639 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A ORIGEM DA DESIGUALDADE ENTRE OS HOMENS, SEGUNDO JEAN-JACQUES ROUSSEAU

“Insensatos, que vos queixais sem cessar da natureza, sabei que todos os vossos males provêm de vós” (Jean-Jacques Rousseau,1712-1778)

Em pleno século que cultua a razão, e critica ferozmente a igreja e a monarquia, surge Rousseau, que não pode ser chamado de iluminista, mesmo estando no centro do movimento iluminista.Este também critica todos estes sistemas, mas vai além, pois culpa o progresso do homem como razão de todo mal existente na sociedade.

Os três fundamentos básicos apontados por Rousseau parademonstrar a origem da desigualdade entre os homens foram: a propriedade privada como tema central de toda sua tese, depois o aparecimento dos magistrados e por último o despotismo esclarecido. Apropriedade privada não é um mal em si, só pode ser má quando é usada inadequadamente pelo homem, a magistratura é exclusiva do homem e o despotismo é o mau uso das atividades exercidas pelo homem magistrado.Para seguirmos o progresso da desigualdade nessas diferentes revoluções, veremos que o estabelecimento da lei e do direito de propriedade foi seu primeiro termo, a instituição da magistratura osegundo e que o terceiro e último foi à mudança do poder legítimo em poder arbitrário, de modo que a condição de rico e de pobre foi autorizada pela primeira época, a de poderoso e de fraco pela segundae pela terceira a de senhor e de escravo, que é o último grau de desigualdade e o termo ao qual chegam finalmente todos os outros1.

Então qual é o grande pano de fundo que sustenta todo pensamentode Rousseau? É o grande mal que o próprio homem faz a seus semelhantes, usando sua racionalidade para isso. Na realidade seu discurso nada mais é que uma tremenda critica ao homem moderno, que com adesculpa do desenvolvimento, escraviza, humilha, maltrata seus semelhantes. Este concebia a existência humana em três momentos: o éden, a queda e a salvação, concebe o tempo original como o estado de...
tracking img