DEMANDA POR MOEDA

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6100 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
1

Textos para Discussão
Nº 183

DEMANDA POR MOEDA: ALGUMAS FORMULAÇÕES TEÓRICAS

Pichai

Chumvichitra

Doutor em Economia pela Universidade de
São Paulo. Pós-Doutorado pela
Universidade de Cardiff

Endereço Postal: Curso de Pós-Graduação em Economia-CAEN
Av. da Universidade 2700- 2º Andar
Bairro Benfica, CEP: 60.000
Tel: (85) 281 37 22
Fax. (85) 243 68887
Fortaleza Cearae-mail: caen@ufc.br

2

Resumo

Esse trabalho traz várias resenhas teóricas sobre o tema de demanda por moeda dentro
da sua definição convencional simples. Seu desenvolvimento em relação a sua função se
ilustra melhor sobre os seus determinantes, isto serve como o ponto inicial para compreender
melhor quando se trata com a definição mais ampla e modificada de moeda, por exemplo no
caso detrabalhar com o conceito de agregação monetária.

Palavras-chaves : teorias de transações, teorias de portfólios, aversão ao risco.

Summary

This paper reviews some theoretical questions regarding to the determination of
money demand behaviour, introduced basically beyond the simple conventional definitions.
In relation with its function, its development has illustred clearly about itsdeterminants. This
serves as an initial point in learning about money demand when the broad defition concerning
with the monetary aggregate has been used.

Key – words : transaction theories, portfolio theories, risk aversion

3

Introdução

Não há decisão de política econômica em qualquer economia que não leve em
consideração a questão da moeda: sua forma, seu valor, sua quantidade emcirculação, etc. especialmente no curto prazo. Assim como nas questões práticas, nas questões teóricas, a
moeda é uma variável que se encontra integrada a todos os modelos econômicos
independentemente

da

versão

(estocástica

ou

não-estocástica),

e

até

mesmo

independentemente da escola de pensamento econômico que orienta a análise. Não se pode
conceber uma economia sem amoeda desempenhando suas funções de meio de troca, reserva
de valor , padrão de pagamentos e determinação de riqueza.
Tendo-se em vista a importância da moeda para o funcionamento da economia,
levanta-se a questão da previsão do quanto será necessário de moeda em circulação sem que
ela extrapole suas funções e passe a interferir diretamente sobre outras variáveis econômicas,
tais como rendae nível de emprego. A moeda não pode ser considerada neutra desde que
sejam obedecidos os limites impostos por suas próprias características: seu valor (a
quantidade de outros bens pelos quais a moeda pode ser trocada) é o que mede esses limites,
e sobre ele, os formadores de política monetária devem ter todas as informações possíveis sendo uma das informações mais importantes a quantidadeótima1 de moeda em circulação
para que ela cumpra seu papel sem afetar outras variáveis (reais). Em suma, o crescimento da
quantidade de moeda em circulação deve ser proporcional (ou sustentado) ao crescimento de
variáveis reais como, por exemplo, da renda.
A oferta de moeda é assim um fator que exerce grande influência sobre o
funcionamento da economia podendo ser definida - quando considerada acondição de
equilíbrio no mercado de moeda - pelo seu lado oposto, qual seja, o da própria demanda por
moeda. Em outras palavras, a Autoridade Monetária deve ofertar uma quantidade de moeda
que satisfaça sua demanda a cada período. Neste ponto, entra em destaque a necessidade do
conhecimento de uma função que seja assegurada pela estabilidade no longo prazo ou, em
termos econômicos, no“steady state”.
Um estudo sobre a estimação da equação de demanda por moeda envolve dois tipos
de problemas: a especificação das variáveis que explicam seu comportamento (dadas as
definições de moeda adotadas) considerando as características específicas da amostra em
1

Teoricamente, considera-se como quantidade ótima de moeda aquela relacionada ao nível mais estável de
crescimento do produto...
tracking img