Daniel defoe eo desenvolvimentismo da gra-bretaha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (490 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Qual a contribuição de Daniel Defoe para o entendimento desenvolvimentista da Grã-Bretanha.
Daniel Defoe (1660-1731) considerado um dos grandes romancistas de uma época devido suas obras como “TheTrue-born Englishman”, ”History of the Union”, “Captain Sigleton”.
E a mais conhecida The Life and Adventures of Robinson Crusoe, onde um filho de comerciante cansado das rotinas de sua vida resolvepartir para uma viagem de conhecimento e aprendizado e acaba ficando preso em uma ilha.
Para nossa questão deixemos de lado toda ficção imposta por Defoe em sua historia e abordaremos o conceitoeconômico aplicado por ele em Robinson Crusoé.
O autor deixa claro todo o conceito econômico neoliberal, onde seu personagem (Crusoé) aplica a idéia de “homem econômico racional”, que possui totalcontrole de seu tempo e de seus métodos de produção. E se caso encontrasse outra pessoa morando em sua ilha ou em uma ilha próxima teria total controle de negociar ou não produtos com o outro morador.
Esseé um exemplo bem simplista do processo apresentado por Defoe em seu livro, mas aparentemente como em tudo em sua vida Defoe escreve outro livro chamado “A Plan of the English Commerce”, que contrapõe oconceito de neoliberalismo aplicado em Robinson Crusoé.
Em seu livro A Plan, Defoe descreve o protecionismo aplicado na Grã-Bretanha nos reinados de Henrique VII e Elizabeth I, o que da inicio acriação ta potencia econômica chamada Inglaterra
Defoe descreve o processo de aumento das taxas de exportações sobre as matérias primas geradas pela Inglaterra (neste caso a lã em estado Bruto), a fimde reduzir o lucro obtido pelos outros países que transformavam a lã em tecido e revendiam para a Inglaterra com lucros muito maiores que os obtidos pelos ingleses.
De acordo com Defoe, HenriqueVII envia missões reais para produção de tecidos na Inglaterra a fim de criar um novo processo produtivo que gerasse lucro, Henrique VII deveria saber que seus esforços não seriam visualizados em...
tracking img