Correntes parasitas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1189 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES
CENTRO TECNOLÓGICO – CT
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA – DEM





MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
CORRENTES PARASITAS


GRUPO
ENZO PIGNATON
PAULO VICTOR
RODRIGO GUEDES
ROGÉRIO MATTA
SERGIO SILVA BONELLE
WEVERTON BARROS



VITÓRIA
DEZEMBRO 2011
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 3
PRINCÍPIO 4
APLICAÇÕES 5
TÉCNICAS DE ENSAIO 6
VANTAGENS ELIMITAÇÕES 7
INSPEÇÃO EM TUBOS FERROMAGNÉTICOS 8
PERMEABILIDADE (FÍSICA) 9



INTRODUÇÃO
Trata-se de um ensaio não destrutivo realizado em linha, que assegura a qualidade da solda. Neste ensaio, uma corrente de baixa potência (parasita), introduzida por uma bobina de indução percorre todo o perímetro do tubo e, caso haja alguma interrupção / perturbação no fluxo de corrente causada pormicro trincas, o equipamento dispara um sinal e identificada a região do defeito, possibilitando aos operadores separar as peças não conformes.



Corrente de Foucault (ou corrente parasita) é o nome dado à corrente induzida ou gerada em um condutor, quando da formação de um fluxo magnético em torno do condutor analisado. O nome foi dado em homenagem a Jean Bernard Léon Foucault, que estudou esseefeito.
As correntes de Foucault que fluem no material produzem um campo magnético secundário que se opõe ao campo magnético primário produzido pela bobina da sonda, reduzindo a fluxo magnético liquido.
Em alguns casos a corrente de Foucault pode produzir resultados indesejáveis, como a dissipação por efeito Joule (aquecimento), o que faz com que a temperatura do material aumente.

PRINCÍPIOO Ensaio por Correntes Parasitas baseia-se na Lei de Indução de Faraday, onde o campo magnético, gerado por uma bobina quando alimentada por uma corrente elétrica alternada, induz, na peça a ser ensaiada, correntes elétricas chamadas correntes parasitas (Eddy Current).
Estas correntes elétricas, por sua vez, afetam a impedância da bobina que as gerou. Assim, quaisquer variações no fluxo dascorrentes parasitas geradas na peça ensaiada implicarão em variações da impedância da bobina.
Este fato leva a uma das maiores aplicações deste método de ensaio que é o de detectar a presença de possíveis descontinuidades existentes nessa peça, que venham a interferir no fluxo das correntes parasitas.
Através de tratamento eletrônico específico, os sinais gerados das variações da impedância,permitem ao inspetor não só detectar a presença de descontinuidades, mas também fazer avaliações de suas profundidades, classificando-as como internas ou externas à superfície em que se encontra a sonda de ensaio.
Analisando as amplitudes dos sinais gerados, é possível ter estimativas do tamanho das descontinuidades detectadas.

APLICAÇÕES
O método de ensaio por correntes parasitas é extremamenteversátil visto que pode ser utilizado para várias aplicações. Fazendo-se a devida adaptação a cada necessidade, sobretudo quanto ao tipo e tamanho de sonda, o ensaio pode ser realizado para:
• Detectar falta de homogeneidade no material tais como trincas, deformações, inclusões, variações de espessura, corrosão, etc.;
• Medir espessura ou variação de espessura de camada não condutora aplicadaem material condutor ou camada condutora aplicada em material de condutividade diferente;
• Detectar variações associadas à condutividade do material, falta de homogeneidade em ligas, superaquecimento local, variações de tratamento térmico, etc.
Além de uma vasta área de aplicações, o ensaio por correntes parasitas ainda oferece uma série de vantagens tais como: alta sensibilidade, altaconfiabilidade, rapidez de execução, facilidades para automação, não exige contato direto entre a sonda e a superfície inspecionada, limpeza, etc.

Normalmente os tubos de condensadores ou trocadores de calor são os componentes mais agredidos pelo meio a que são submetidos durante o tempo de operação de tais equipamentos. Defeitos ou descontinuidades tais como trincas, pites, alvéolos são comuns.
O...
tracking img