Conto de escola

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (628 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Conto de Escola, de Machado de Assis, Pilar narra sua própria historia de quando era mais novo, tempo de escola, que se tem seu primeiro contato com a corrupção e a delação. O texto é narrado emprimeira pessoa, sendo assim narrador homodiegético, como coloca no trecho. Na semana anterior tinha feito dois suetos, e, descoberto pelo meu pai, que me deu uma surra de vara de marmeleiro.
O conto éambientado no Rio de Janeiro, e com isso se situa o espaço exato, com dia, mês, ano e o local por onde se passa a historia.
A escola era na Rua do Costa, um sobradinho de grade de pau. O ano era del840. Naquele dia - uma segunda-feira, do mês de maio - deixei-me estar alguns instantes na Rua da Princesa a ver onde iria brincar a manhã. Hesitava entre o morro de S. Diogo e o Campo de Sant'Ana,que não era então esse parque atual, construção de gentleman, mas um espaço rústico, mais ou menos infinito, alastrado de lavadeiras, capim e burros soltos. Morro ou campo? Tal era o problema.
Pilar,narrador-protagonista, se descreve como, não era um menino de virtudes, assim considerando um menino de rua, mas “Custa-me dizer que eu era um dos mais adiantados da escola; mas era. Não digo tambémque era dos mais inteligentes, por um escrúpulo fácil de entender e de excelente efeito no estilo, mas não tenho outra convicção. Note-se que não era pálido nem mofino: tinha boas cores e músculos deferro. Na lição de escrita, por exemplo, acabava sempre antes de todos”.
Mas ao contrario dele Raimundo, que era seu amigo de escola, filho do mestre (professor) e o corruptor da historia, “era mole,aplicado, inteligência tarda. Raimundo gastava duas horas para reter aquilo que a outros levava trinta ou cinquenta minutos (...). Era uma criança fina, pálida, cara doente; raramente estava alegre”.Curvelo, que também é considerado um menino de rua pelo personagem, e o delator da historia “Esse Curvelo era um pouco levado do diabo” “Olhei para o Curvelo e estremeci; tinha os olhos em nós, com...
tracking img