Contabilidade geral

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4836 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
26/9/2012

Paradigma
a. O poder é um conceito crítico para quem se interessa pela análise organizacional b. O conceito de organização não existe sem relações de poder:

O poder nas Organizações
Um paradigma interpretativo

Conceitos fundamentais

(B. Russell)

Conceito polémico: exemplo (Clegg, 2005: 372)
Estruturas organizacionais Poder

Na física

Nas ciências sociaisSociologia São de dominação; radical Servem i t S interesses Marx/Weber individuais, grupais… Teorias da gestão

.Está nas estruturas; é dominação .Está nos agentes

A energia

O poder A estrutura(autoridade) .Não é considerado é funcional, legítima, .Acções fora das formal; não dominação estruturas legítimas; ameaça objectivos organizacionais

Evolução paradigmática

(Ferreira, e.,al,105)Modelos unitários e pluralistas
Gestão Unitários Funcionalistas T. sistemas; contingenciais Institucionalistas modelos racionalistas modelos tecnocratas Imperativo do mercado

Determinismo das influências ambientais Adaptação sistemática das organizações às contingências externas; organizações estruturadas na base da autoridade hierárquica e da racionalidade instrumental

Dimensão política eestratégica dos actores nas organizações Os actores individuais e colectivos, com os seus recursos e fontes de poder desenvolvem estratégias e objectivos que também estruturam o funcionamento da organização Pluralistas Teoria agencia Modelos acção - actores estratégicos Modelos políticos

1

26/9/2012

Modelos unitários

Modelo unitário
«Há uma “equipa”, onde todos remam para o mesmolado, “equipa”, para o mesmo fim, bom para todos, comandados e coordenados por uma autoridade que aceitam, porque é necessária, neutra e legítima» «Todos pensam e querem o mesmo»

-Modelos racionalistas

imperativo racional

-Modelos sistémicos, orgânicos

determinismo ambiental a. Há esforços cooperativos e congruência de objectivos b. A não cooperação é patológica (Chester Barnard)Ênfase na eficiência, eficácia, adaptação ao meio
Os executivos têm um papel «doutrinador»

P: Concorda com este retrato da organização?

Modelo unitário
Agenda tecnocrática e gerencialista hiper-racional:

Modelo unitário
Organizações utilitárias (empresas)

Não existe decisão política: identifica-se a p identifica«escolha óptima» e os «meios óptimos»(Licínio, 2002,70)

despolitizadas dliti d
Ao «princípio de realidade» (o mercado)

Na empresa tudo é racional, científico, técnico, rigoroso, impessoal, desinteressado, orientado para a missão e os objectivo da organização

Subordinadas À racionalidade instrumental e concorrência do mercado

Visão unitária
Interesses

(Burrell e Morgan, 204)

Modelo pluralista

• Organização como um todo unificado e coerente •Objectivos comuns e interesses comuns
Poder • Ignora o poder: só reconhece a autoridade, a liderança, o controlo • D i õ na b Decisões base d i f de informação rigorosa ã i • Há acordo sobre os objectivos e os meios Conflito • Conflito raro e transitório que deve ser eliminado pela gestão • Atribuído a actividades desviantes: patologias… • Desvaloriza o conflito envolvendo Grupos ou departamentosDirigentes/dirigidos; avaliadores/avaliados “Principal”/“agente”

Modelo pluralista—político

2

26/9/2012

Reflexão
Entre accionistas e administradores/gestores

Ex: Teoria económica da agencia
a. Preferências divergentes b. Indivíduos auto-interessados e competitivos ( , ) c. Incertezas (técnicas, financeiras…)

P.Há completo acordo sobre o que fazer e como fazer? P: Existe conflito deinteresses: lucro/prémios? P: Os administradores devem ser controlados?

d. Limitada informação sobre os agentes e. Agentes com comportamentos oportunistas P. O que deverá fazer o Principal?

Ex: Teoria económica da agencia
a. Os interesses do principal e do agente normalmente
divergem b. O agente pode ter comportamentos oportunistas c. O principal não pode monitorar perfeitamente e a baixo...
tracking img