Cont e sinais de respeito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4256 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO ESPECÍFICO TREINAMENTO DE SD PM TEMP 2010

APOSTILA DE CONTINÊNCIAS, SINAIS DE RESPEITO E
SERVIÇOS GERAIS
OBJETIVOS
1. proporcionar conhecimentos ao Sd PM Temp que o capacite a:
1.1. desenvolver e manter a disciplina no trabalho, proporcionando reflexos em atividades, na apresentação pessoal, permitindo o seu enquadramento e coesão de acordo com os padrões exigidos para o exercíciodas atividades.
2. conhecer os serviços desenvolvidos na Guarda do Quartel.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
|ASSUNTOS |Nº aulas |
|Dos Sinais de respeito; Da continência; Hierarquia da PM (Postos e Insígnias). |01 |
|Doprocedimento normal; Do procedimento em outras situações; Das prescrições diversas. |01 |
|Da apresentação e da continência da tropa: Título II, Capítulo V em suas Seções I, VI e VII generalidades; Da continência da |01 |
|guarda; Da continência da sentinela.| |
|Do compromisso dos recrutas. |01 |
|Regulamento Interno e Dos Serviços Gerais (RISG) - das escalas de Serviço; da guarda do Quartel; dos soldados da guarda; das |02 |
|sentinelas; do reforço da guarda; dos plantões.| |

AULA 01

DOS SINAIS DE RESPEITO; DA CONTINÊNCIA;
HIERARQUIA DA PM (Postos/Graduações e Insígnias)

I-21-PM - INSTRUÇÕES PARA CONTINÊNCIAS, HONRAS, SINAIS DE RESPEITO E CERIMONIAL MILITAR NA POLÍCIA MILITAR
As presentes Instruções destinam-se a regular, no âmbito da Polícia Militar do Estado de São Paulo, a aplicação doRegulamento de Continências, Honras, Sinais de Respeito e Cerimonial Militar, aprovado pelo Decreto 2.243 de 3 de Junho de 1997.
Parágrafo único - As prescrições desta Instrução aplicam-se às situações diárias da vida castrense, estando o Policial Militar de serviço ou não em área militar ou em sociedade, nas cerimônias e solenidades de natureza militar ou cívica.

1. Dos Sinais de Respeito
1.1.Quando dois militares deslocam-se juntos, o de menor antigüidade dá a direita ao superior. 1.1.1. Se o deslocamento se fizer em via que tenha lado interno e lado externo, o de menor antigüidade dá o lado interno ao superior.
1.2. Quando os militares deslocam-se em grupo, o mais antigo fica no centro, distribuindo-se os demais, segundo suas precedências, alternadamente à direita e à esquerda domais antigo.
1.3. Quando encontrar um superior num local de circulação, o militar saúda-o e cede-lhe o melhor lugar:
1.3.1. Se o local de circulação for estreito e o militar for praça, franqueia a passagem ao superior, faz alto e permanece de frente para ele.
1.3.2. Na entrada de uma porta, o militar franqueia-a ao superior; se estiver fechada, abre-a, dando passagem ao superior e torna afechá-la depois.
1.4. Em local público onde não estiver sendo realizada solenidade cívico-militar, bem como em reuniões sociais, o militar cumprimenta, tão logo lhe seja possível, seus superiores hierárquicos.
1.4.1. Havendo dificuldade para aproximar-se dos superiores hierárquicos, o cumprimento deve ser feito mediante um movimento de cabeça.
1.5. Para falar a um superior, o militar emprega sempre otratamento "Senhor" ou "Senhora".
1.5.1. Para falar, formalmente, a um oficiaI-general, o tratamento é "Vossa Excelência", "Senhor Almirante", "Senhor General" ou "Senhor Brigadeiro", conforme o caso. Nas relações correntes de serviço, no entanto, é admitido o tratamento de "Senhor".
1.5.2. Para falar, formalmente, ao Comandante, Diretor ou Chefe de Organização Militar, o tratamento é...
tracking img