Coleta seletiva

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1841 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]








































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 4

2 JUSTIFICATIVA .......................................................................................................6

3 REFERENCIAL TEÓRICA.......................................................................................7

4 OBJETIVOS..............................................................................................................9

5 MATERIAL E MÉTODOS 10

6 CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO 11

7 REFERENCIAS 12

INTRODUÇÃO

A maioria dos municípios brasileiros dispõe seus resíduos sólidos domiciliares sem nenhum controle, uma prática de graves conseqüências:contaminação do ar, do solo, das águas superficiais e subterrâneas, criação de focos de organismos patogênicos, vetores de transmissão de doenças, com sérios impactos na saúde pública. O quadro vem se agravando com a presença de resíduos industriais e de serviços de saúde em muitos depósitos de resíduos domiciliares, e, não raramente, com pontos de descargas clandestinas.
Nota-se que, na maioriados municípios, o circuito dos resíduos sólidos apresenta características muito semelhantes, da geração à disposição final, envolvendo apenas as atividades de coleta regular, transporte e descarga final, em locais quase sempre selecionados pela disponibilidade de áreas e pela distância em relação ao centro urbano e às vias de acesso, ocorrendo a céu aberto, em valas, etc.
Em rarassituações, este circuito inclui procedimentos diferenciados: coleta seletiva, processos de compostagem, etc, e mesmo assim, freqüentemente esses processos são mal planejados, o que dificulta a operação e torna-os inviáveis em curtíssimo prazo.
O manejo inadequado de resíduos sólidos de qualquer origem gera desperdícios, contribui de forma importante à manutenção das desigualdadessociais, constitui ameaça constante à saúde pública e agrava a degradação ambiental, comprometendo a qualidade de vida das populações, especialmente nos centros urbanos.
Em raras situações há de fato o tratamento dos resíduos sólidos, que em geral são apenas depositados em "lixões".
É somente criando uma política em que se definam claramente diretrizes, arranjosinstitucionais e recursos a serem aplicados, enfim, explicitando e sistematizando a articulação entre instrumentos legais e financeiros é que se poderá garantir de fato a constância e a eficácia nesse campo.
Nos níveis de ação do governo são necessárias as maiores mudanças: é preciso fomentar integrando, abarcando as relações entre questões ambientais, urbanísticas, tecnológicas, políticas,sociais e econômicas.
A garantia de promoções continuadas no setor dos resíduos sólidos só ocorrerá com a existência de uma política de gestão e o compromisso de instituições sociais solidamente firmadas para mantê-la. A participação da sociedade civil é componente indispensável para isso.
A maior parte dos municípios brasileiros é de pequeno porte, segundo IBGE (1991), e95% possuem população urbana inferior ou igual a 75.000 mil habitantes.
No Estado do Paraná, nos últimos anos tem crescido o número de novos municípios, cujas sedes passam a ter uma nova estrutura, caracteristicamente urbana, onde a instalação de estabelecimentos públicos e edifícios, residências, tendem a aumentar. Os locais para disposição final dos resíduos sólidos urbanos passam a ser dedifícil aquisição, e quando se obtém características deixam a desejar, segundo parâmetros técnicos e legais, impostos pela legislação ambiental vigente.
Para adotar medidas que contribuem ao correto tratamento dos resíduos sólidos faz-se necessário que sejam gerenciados de forma integrada (qualidade total nos serviços).
Para que isso ocorra é necessário o conhecimento...
tracking img