Ciencias contabeis

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3741 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Teoria da
Contabilidade
Profa. Alessandra Silva
Santana

UNISEB
Centro Universitário

3/8/2012

Módulo 5.1
Unidade 1

UNISEB
Centro Universitário

Ementa da Disciplina
Aula 1 - Discussão sobre os objetivos da
Contabilidade e Metodologias de Pesquisa na
Contabilidade; Evolução histórica e o
desenvolvimento da Teoria Contábil;
Estrutura conceitual básica da Contabilidade;Postulados, Princípios e Convenções
Contábeis.
Aula 2 - O Ativo e sua mensuração. Definições
de Ativo. Classificação (monetário e não
monetário). Avaliação de ativos a valores de
entrada e a valores de saída.
3

Aula 3 - Ativo Intangível: conceito,
características e avaliação. Goodwill:
conceito, características e modelos de
mensuração;
Depreciação: significado, reconhecimento emensuração.
Aula 4 – O Passivo e sua mensuração;
Patrimônio Líquido. Receitas, Despesas,
Ganhos e Perdas. Evidenciação.
Arrendamento Mercantil.

4

Referências
FIPECAFI, Manual de Contabilidade
Societária: Aplicável a todas as Sociedades
de acordo com as Normas Internacionais e
do CPC. São paulo: Atlas, 2010.
HENDRIKSEN, E. S.; BREDA, M. F. Teoria
da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999.IUDÍCIBUS, S. Teoria da contabilidade. São
Paulo: Atlas, 1997.
5

Em 1977, logo após a revolução contábil
do século passado no Brasil trazida pela
edição da Lei das S.A. (nº 6.404/76), a
Fipecafi foi procurada pela CVM para
editar o Manual de contabilidade das
sociedades por ações, que visava
orientar as empresas, os profissionais e
o mercado em geral a respeito de tantas
eimportantes evoluções, já que
praticamente tudo o que havia de
novidade em matéria contábil nessa lei já vinha sendo
pesquisado e ensinado no Departamento de
Contabilidade e Atuária da FEA/USP.
A partir principalmente de 1990, com a criação da
Comissão Consultiva de Normas Contábeis da CVM
(presença, além da CVM, da Fipecafi, do Ibracon, do
CFC, da Apimec e da Abrasca), essa autarquia

6 passou a emitir um grande conjunto de
normas já convergentes às do IASB,
dentro dos limites que a Lei permitia, e
aquele Manual as foi incorporando ao
longo de várias edições. Diversas
evoluções outras foram também sendo
inseridas.
Com a edição das Leis nº 11.638/07 e
11.941/09 (esta transformando em lei a
MP nº 449/08) e com a criação do CPC - Comitê de
Pronunciamentos Contábeis - em 2005,produziu-se,
durante 2008 e 2009, enorme conjunto de novas
normas, aprovadas pela CVM e pelo CFC, agora com
a convergência completa às normas internacionais de
contabilidade (IASB). E essa está sendo a grande
revolução contábil deste século no nosso país.
7

Bibliografia Complementar

8

www.socialiris.org

Este livro é resultado de um trabalho
colaborativo de 32 professores epesquisadores provenientes de
programas de pós-graduação (mestrado e
doutorado) em Ciências Contábeis de
diversas universidades brasileiras. Os 19
capítulos que integram a obra foram
denominados unidades, que estão assim
discriminadas: uma visão teórico-reflexiva da teoria da
contabilidade; origem e evolução histórica da
contabilidade; base epistemológica para a teoria da
contabilidade;conceito e objetivos da contabilidade;
princípios e normas contábeis; ativo e sua avaliação;
passivo e sua mensuração; patrimônio líquido;
provisões e reservas; depreciação, amortização e
exaustão e imparidade; resultado do exercício; teoria
da mensuração contábil; contabilidade aplicada ao
setor público; teoria do controle aplicada ao setor

9

público; evidenciação contábil(disclosure); normas internacionais de
contabilidade; cenários internacionais de
prática contábil; informação contábil e
novos delineamentos teóricos em
contabilidade.
Este livro oferece temáticas muito ricas e
sugestivas para uma discussão
aprofundada sobre o papel da Contabilidade enquanto
Ciência Social, e também almeja a ampliação dessa
rede de pesquisadores em Educação Contábil. Em
seu...
tracking img