Ciborgue e cultura

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7107 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Costumamos associar tecnologia a coisas que piscam, tem fios e custam caro. Na prática, quaisquer ferramentas que ampliam nossos sentidos e capacidades – de uma colher a iPhones – são tecnologias. E quando elas se tornam ferramentas tão íntimas de nós, a ponto de mudar nossos cérebros (hábitos/costumes), podemos chegar ao conceito de ciborgue.
A princípio quando pensamos emciborgue nos vem à imagem de um ser híbrido, uma mistura de humano - máquina ou algo cibernético. Essa estética de ciborgue como humano - máquina ou simplesmente máquina pode ser observado principalmente através dos meios de comunicação em massa (cinema, TV, literatura) onde o ciborgue é estereotipado como sendo um ser robótico que traz características humanas (fisicamente semelhante).
Em 1985 queas teorias já existentes sobre o ciborgue foram contestadas. Nesse ano, Donna Haraway publicou seu ensaio “Manifesto em favor do ciborgue”, apresentando o ciborgue como produto de uma transformação social, prestes a acontecer devido à maneira como as tecnologias estavam cada vez mais fazendo parte do cotidiano das pessoas. Para Haraway “as realidades da vida moderna implicam uma relação tão íntimaentre as pessoas e a tecnologia que não é mais possível dizer onde nós acabamos e onde as máquinas começam” (Kunzru, 2000a, p. 25).
Portanto iremos abordar a tecnologia influenciando direta e indiretamente a vida do homem em vários âmbitos da cultura.

1 – CIBORGUE E CULTURA: CONCEITOS
1.1 - Ciborgue

O termo Cyborg foi criado por Manfred Clynes e Nathan Kline em 1960, sendo umaabreviatura de “Cybernetic Organism”. Clynes e Kline imaginaram um astronauta possuidor de um coração controlado por anfetaminas e injeções, e pulmões substituídos por células energéticas inversas, alimentadas por energia nuclear. Esse teria melhores condições de sobreviver em ambientes extraterrestres. Tal idéia foi concebida depois de refletirem sobre a necessidade de estabelecer uma relação mais íntimaentre os seres humanos e máquinas, em um momento em que o tema da exploração espacial começava a ser discutido.
Donna haraway autora do ensaio: “A cyborg manifesto: science, technology, and socialist-feminism in the late twentieth century”, que disseminou o neologismo ciborgue e que sua importância, pode ser medida pela quantidade de referências que lhe são feitas em todo o meio acadêmico, citaque: “A era do ciborgue é aqui e agora, onde quer que haja um carro, um telefone ou um gravador de vídeo. Ser um ciborgue não tem a ver com quantos bits de silício temos sob nossa pele ou com quantas próteses nosso corpo contém.”
Donna Haraway defende que hoje somos todos ciborgues. Nossa relação com as máquinas é tão estreita que não sabemos aonde um começa e o outro termina (homem e máquina).1.2 – Cultura

Edward Burnett Tylor, nos parágrafos iniciais de Primitive Culture (1871; A cultura primitiva) oferece pela primeira vez uma definição formal e explícita do conceito de cultura: "Cultura... é o complexo no qual estão incluídos conhecimentos, crenças, artes, moral, leis, costumes e quaisquer outras aptidões e hábitos adquiridos pelo homem como membro da sociedade."
Quando nosreferimos à cultura, nos referimos a todo tipo de conhecimento que um indivíduo ou um grupo de indivíduos adquiri em sua existência. O antropólogo Ralph Linton, baseando-se na constatação de que os fatos culturais resultam das necessidades humanas, dividiu a cultura em:
● Necessidades biológicas, agrupando todos os fatos que correspondem à vida física do homem;
● Necessidades sociais, em quese reúnem todos os fatos relacionados com a vida em sociedade.
● Necessidades psíquicas, que compreendem todos os fatos que representam manifestações de pensamento dos seres humanos.
Usaremos a divisão de cultura feita por Ralph Linton em tais necessidades, para fundamentar a idéia de ciborgue na cultura, ou seja, a influência que a tecnologia tem na vida da sociedade contemporânea.

2 –...
tracking img