China comercio exterior

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1902 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de dezembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
|3º Ciclo |Comércio Exterior |Noturno |
|Economia Internacional |Renato |
|Nathália Andrade Spinelli|
|Thaliá Pinto da Silva |

Introdução

CRESCIMENTO DAS IMPORTAÇÕES VINDAS DA CHINA

A china está caminhando para se tornar a principal fonte das importações brasileiras, no começo desse ano, a China tornou-se o segundo maior vendedor demercadorias ao mercado brasileiro, tirando desse lugar a Argentina, a liderança ainda pertence aos Estados Unidos. No primeiro bimestre de 2011, entrou no país mais produtos chineses do que produtos norte-americanos. Hoje o Brasil ocupa o 8º lugar no ranking dos países de origem das importações da China.

Atualmente a China responde por 15,2% das vendas do Brasil para o exterior e por 14% dasimportações brasileiras. Essa crescente teve inicio no final da década de 90, intensificou-se em 2003 e se mantem crescente até hoje. Em 2007 e 2008, o volume importado da China superou o das exportações para o país. Por conta da crise em 2009 as importações caíram e voltaram a ficar menores do que as exportações, situação essa que estamos até hoje.

O objetivo principal do governo brasileiro é tentarequilibrar esse mercado.

[pic]Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior

Desenvolvimento: PERFIL DO COMÉRCIO BRASIL E CHINA

[pic]
Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o comércio Brasil-China movimentou US$ 56,3 bilhões em 2010, Porém existe apreocupação, pois houve aumento de produtos básicos nas exportações brasileiras.
Muitos afirmam que a as empresas brasileiras sofrem com a concorrência chinesa uma vez que os produtos manufaturados chineses que, tem incentivos governamentais, tem o beneficio da moeda desvalorizada e baixo custo de mão de obra.
De acordo com o estudo da Fiesp, o pico da participação da indústria de transformação noPIB brasileiro foi em 1986, com 27,2%. Em 2010, o percentual caiu para 15,9%, e a falta de igualdade nessa competição tem provocado um processo de desindustrialização e até mesmo de transferência de operações para a China.
A professora de Relações Internacionais da ESPM, Denilde Oliveira Holzhacker, avalia que a China tem encontrado um ambiente muito mais favorável do que o Brasil na relaçãobilateral. “Há uma desigualdade em termos de negócios e o maior desafio é equilibrar essa relação”, ainda segundo Denilde, “Já existe uma posição um pouco mais incisiva do governo, o que dará ao Brasil uma capacidade maior de barganha”, diz, citando as tarifas antidumping contra determinados produtos chineses e a legislação para a compra de terras por estrangeiros, que desde o ano passado ficou maisrígida e limitada.
Já o plano do MDIC sinaliza mudança da postura que se verificou nos últimos tempos, quando o assunto é comércio com a China. Até aqui, a atitude mais comum entre os empresários nacionais era reclamar para o governo da enxurrada de importações chinesas e tentar fazer com que autoridades brasileiras arrancassem de Pequim medidas de autocontrole das vendas ao Brasil. Agora, o governoresolveu agir dentro da trincheira adversária. “Chega de chorar. Vamos atacar do outro lado também”, afirma Meziat.

PRINCIPAIS EMPRESAS QUE EXPORTARAM PARA A CHINA NO ANO DE 2010 DO BRASIL
Vale S/A
Petróleo Brasileiro S/A Petrobras
Samarco Mineração S/A
Louis Dreyfus Commodites Brasil S/A
Adm do Brasil LTDA
Nacional MinériosS/A
Embraer S/A
Companhia Braleira de Metalurgia e...
tracking img