Cegos, surdos e famintos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2522 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CEGOS, SURDOS E FAMINTOS...

Antônio Pantoja Fernandes Junior
Acadêmico do curso de Artes Visuais da Universidade
Federal do Amapá (UNIFAP)
iam.mimieux@hotmail.com
http://lattes.cnpq.br/8292837783080739

Celice Pereira da Conceição
Acadêmica do curso de Artes Visuais da Universidade
Federal do Amapá(UNIFAP)
celice.pereiradaconceicao.3@facebook.com
http://lattes.cnpq.br/4588951231851620

Gesiel Nunes dos Santos
Acadêmico do curso de Artes Visuais da Universidade
Federal do Amapá(UNIFAP)
gesiel.18@hotmail.com
http://lattes.cnpq.br/6118049792588402

Luan Alberto Ribeiro Soares
Acadêmico do curso deArtes Visuais da Universidade
Federal do Amapá(UNIFAP)
alberto-luan1991@hotmail.com
http://lattes.cnpq.br/9157905937144165

Marília Navegante Pinheiro
Acadêmica do curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)
marília.navegante.ap@gmail.com
http://lattes.cnpq.br/8358759391784081

Mayara Caroline da Costa MarquesAcadêmica do curso de Artes Visuais da Universidade
Federal do Amapá (UNIFAP)
maymarquesap2@gmail.com
http://lattes.cnpq.br/0376952482144713

Maria Daiana do Carmo Sobrinho
Acadêmica do curso de Artes Visuais da Universidade
Federal do Amapá (UNIFAP)
daianaartes2010@hotmail.com
http://lattes.cnpq.br/9020116805743633

Marta Bezerra Pereira
Acadêmica do curso de artes visuaisda Universidade
Federal do Amapá (UNIFAP)
Email
currículo

RESUMO:
A proposta aqui a ser problematizada é de cunho, político, social, psicológico, filosófico, educacional. O que está no centro do trabalho, se chama: SER HUMANO.
O ser mais complexo dentre todos os seres. As perguntas; quem sou? De onde vim? Para onde vou? Ainda são feitas e refeitas, sem encontros com o que se julga serverdade. No que nos tornamos? Homens, mulheres, crianças, idosos, jovens... Somos máquinas de trabalho e daquilo que julgamos ser prazeroso.
Propomos a devoração de si mesmo para tomar como seu, ou para si, o que se tem de melhor por dentro. Retornemos ao nosso estado primitivo, simples, natural. Para somar ao desenvolvimento tecnológico e a cultura da modernidade. E não para ser controlado,alienado por ela.

Palavras chaves: Homem, canibalismo, sociedade.

ABSTRACT:
The proposal here is to be problematic nature of political, social, psychological, filosophical, educational. What is in the center of the work is called: HUMAN. The most complex being among all beings. The questions , who am i? Where did i come? Where am i going? Are still made and remade, no encounters with what isthought to be true. As we become? Men , women, childrem, enderly, young... Machines are working, leisure and what we believe to be pleasurable. We preopose the devoring of itself to take as his, or to each other, which has a better inside. We return to our primitive state, simple, natural. To add to the technological development and the culture of modernity.And not to be controlled by it.

Keywords: Man, cannibalism, society.

O lobo*

“Houve um tempo que os homens
Em suas tribos eram iguaisVeio a fome e então a guerra
Pra alimentá-los como animais
O “homem é o lobo do homem.”

Um passo derradeiro em frente à muralha, assim sangra o homem querendo ir além do seu limite. A abstração...
tracking img