Caso elisabeth

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2760 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ASTRID CRISTIANE RICHTER
IZABELLE P. CLOSS
ROSELIA G. DOS SANTOS
ROSANA de FRANÇA SILVA

ESTUDOS SOBRE A HISTERIA
CASO SRTA. ELISABETH VON R.
(FREUD)

CURITIBA
ABRIL DE 2013

SUMÁRIO
1. Introdução.................................................3 e 4
2. A História do Caso....................................5 e 6
3. Sintomas e Queixas...................................6e 7
4. Causa dos Sintomas e Tratamento........7, 8 e 9
5. Sonhos.............................................................9
6. Resultado da Análise.................................9 e 10
7. Conclusão........................................................10
8. Referências Bibliográficas......................... 11INTRODUÇÃO
A teoria elaborada por Sigmund Freud explica a diferença essencial que existe entre o mamífero humano e os demais, isto é, além da necessidade biológica, física de se alimentar para sobreviver, o homem nasce com a capacidade de sentir prazer em várias partes de seu corpo, e a vivência que tem dessa capacidade é tão importante para seu desenvolvimento quanto o alimento. Osmecanismos pelos quais o ser humano experimenta a capacidade de ter prazer são o início da teoria de Freud. A história de cada indivíduo, como ele vivência o prazer, que tem origem biológica (no sistema nervoso central), será o objeto central da teoria freudiana.
A maneira como Freud desenvolveu suas idéias, entre o final do século 19 e grande parte do século 20, marcou definitivamente o pensamentocontemporâneo. Sua atividade como pesquisador e médico neurologista clínico, isto é, médico de doenças nervosas em consultório permitiu a descoberta da origem de várias doenças psíquicas, dentre elas a histeria. Através do trabalho com mulheres histéricas, Freud chegou à descoberta do inconsciente, força motivadora e determinante do comportamento humano.
Ao encerrar a residência médica e comopesquisador do funcionamento do sistema nervoso, Freud teve contato com o famoso médico francês Jean Martin Charcot, especialista em tratamento com mulheres histéricas. Estagiou, em Paris, junto a Charcot, como pesquisador da anatomia do sistema nervoso o que o levou a se interessar, porém, pelas manifestações da mente, de afeto, emoção e sentimentos. Essa passa a ser sua principal preocupação comopesquisador, pois o método do neurologista francês, bem menos ortodoxos dos quais Freud realizava em laboratórios, revolucionaram seu pensamento.
Charcot era especialista no tratamento de pessoas com distúrbios mentais e neurológicos. Pesquisava o tratamento de pacientes histéricos, na maioria mulheres, que não eram levados muito em conta pela medicina da época. Essas apresentavam sintomas diversos,como paralisias (que as impediam de mover braços ou pernas ou até um lado inteiro do corpo), afasias (a impossibilidade da fala), cegueira de um olho ou dois. Algumas, ainda, tinham problemas com o tato, olfato. Às vezes, sofriam também de ataques convulsivos e desmaios. Enfim, um quadro de sintomas que os neurologistas buscavam explicar com base em alguma causa orgânica, sem sucesso. Faziamexames neurológicos e não encontravam nada, nenhum indício de deficiência cerebral.
Charcot passou a hipnotizar essas pacientes e conseguiu, em muitos casos, por sugestão hipnótica, a supressão dos sintomas. Se a intervenção baseada na sugestão do médico dava resultados e os sintomas desapareciam, então a origem deles não era realmente orgânica, mas psicológica, considerou Freud. Foi essa hipótese querevolucionou seu pensamento. Para explicá-la sem recorrer à existência de uma alma sobrenatural ou causas orgânicas, Freud desenvolveu outras hipóteses, que iria amadurecer e comprovar no trabalho clínico com Josef Breuer, médico vienense mais velho, com quem trabalhou durante os dez anos seguintes após sua estada com Charcot.
Usando o método da hipnose com as pacientes histéricas da clínica...
tracking img