Caso celobar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2008 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Jeosadaque J. Sene, Luis Nelson Prado Castilho, Luis Rogério Dinelli e Keila Bossolani Kiill



equilíbrio de sais pouco solúveis, contraste radiológico, Celobar®



Carbonato de bário é um exemplo de sólido cujo ânion formado pela ionização de um ácido fraco torna-o solúvel em meio
de ácido clorídrico. A intoxicação de vários indivíduos com bário há alguns anos deveu-se ao empregoindevido desse sal em
exames de contraste. Geralmente, é utilizado um contraste comercial para exames radiológicos que consiste em uma
suspensão aquosa de sulfato de bário insolúvel no suco gástrico. Entretanto, a contaminação de um lote do produto com
carbonato de bário ocasionou a morte de dezenas de pessoas. Neste artigo, a relação entre a solubilidade de ambos os sais
e suas constantes desolubilidade é demonstrada e discutida. Um experimento utilizando tripas de celofane demonstra como
íons Ba2+ em solução migram para a corrente sanguínea, causando a intoxicação.

Recebido em 11/11/05, aceito em 21/9/06

C

ontrastes radiológicos são
Janeiro junto ao laboratório Enila
substâncias utilizadas em exaindicaram que o produto Celobar®
mes de diagnóstico por raios
- um contrasteradiológico largaX, radiografias ou ressonância magmente utilizado em exames de ennética. Essas substâncias são
ema opaco, radiografia de esôfago,
capazes de absorver os raios X, de
estômago, intestinos e dos vasos
modo que órgãos internos preenda base do coração - teve a comchidos pelo contraste tornam-se
posição adulterada durante sua
brancos no filme de raios X, realfabricação.
çando aimagem da estrutura do
Sais como o sulfato de bário e o
órgão. Isto cria a necessária distincarbonato de bário são pouco solúção (contraste) entre o órgão exaveis em meio aquoso de pH neutro:
minado e os tecidos vizinhos. O
aproximadamente 2,45 mg L-1 (1,05
contraste auxilia o médico a visua× 10-5 mol L-1) e 17,8 mg L -1 (9,00 ×
lizar qualquer anomalia no órgão
10 -5 mol L -1), a 25 °C,respectivasob exame.
mente. O Celobar® é uma suspenNo decorrer do ano de 2003, um
são aquosa de sulfato de bário de
fato envolvendo a
concentração 1 g
mL -1 e a d osagem
morte de pelo meContrastes radiológicos são
nos 23 pessoas e a
recomendada para
substâncias capazes de
adultos é de 30 mL.
intoxicação de deabsorver os raios X, de
Considerando as
zenas de outras em
modo que órgãosinternos
baixas solubilidavários Estados brapreenchidos pelo contraste
sileiros chamou a
des citadas, em
tornam-se brancos no filme
atenção da mídia e
de raios X, realçando a
condições normais
imagem da estrutura do
essa dosagem não
da opinião pública
órgão
brasileira. Investiseria suficiente para
gações realizadas
atingir a dose mínina época pela Agência Nacional de
ma letal de 2 a 3 mgde bário por
Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela
quilo de tecido.
Vigilância Sanitária do Rio de
Por que, então, a contaminação

QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

Equilíbrio químico de sais pouco solúveis

do Celobar ® com o carbonato de
bário provocou a morte de um número significativo de pessoas?
Apresentamos, a seguir, um procedimento experimental que ajuda
a responder essa questão.Material e reagentes
• Barbante
• Membrana semipermeável (tripa de celofane usada para
fabricação de salsicha e lingüiça, encontrada em casas de
embutidos)
• 3 espátulas (ou colheres de
plástico pequenas)
• Proveta graduada ou seringa
descartável de 50 mL
• 3 pipetas graduadas ou seringas descartáveis de 10 mL
• 3 béqueres de 50 mL (ou
copos plásticos descartáveis
transparentes)
• 2béqueres de 100 mL (ou
copos plásticos descartáveis
transparentes)
• Béquer de 250 mL (ou copo
plástico descartável transparente)
• Solução de ácido clorídrico
0,5 mol L-1 (ou ácido muriático
N° 24, NOVEMBRO 2006

43

a 10 %, encontrado em supermercados e lojas de materiais
de construção)
• Cloreto de bário (BaCl2)
• Carbonato de sódio (ou bicarbonato de sódio, encontrado
em...
tracking img