Capitalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5409 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
CAPITALISMO E CRISE FINANCEIRA GLOBAL
21/05/2009 às 13:30

01. ORIGEM E ASCENSÃO DO CAPITALISMO

Encontramos a origem do sistema capitalista na passagem da Idade Média para a Idade Moderna. Com o renascimento urbano e comercial dos séculos XIII e XIV, surgiu na Europa uma nova classe social: a burguesia. Esta nova classe social buscava o lucro através de atividadescomerciais.

Neste contexto, surgem também os banqueiros e cambistas, cujos ganhos estavam relacionados ao dinheiro em circulação, numa economia que estava em pleno desenvolvimento. Historiadores e economistas identificam nesta burguesia, e também nos cambistas e banqueiros, ideais embrionários do sistema capitalista: lucro, acúmulo de riquezas, controle dos sistemas de produção eexpansão dos negócios.

a) Primeira Fase: Capitalismo Comercial ou Pré-Capitalismo (Mercantilismo)

Este período estende-se do século XVI ao XVIII. Inicia-se com as Grandes Navegações e Expansões Marítimas Europeias, fase em que a burguesia mercante começa a buscar riquezas em outras terras fora da Europa. Os comerciantes e a nobreza estavam a procura de ouro, prata, especiarias ematérias-primas não encontradas em solo europeu. Estes comerciantes, financiados por reis e nobres, ao chegarem à América, por exemplo, vão começar um ciclo de exploração, cujo objetivo principal era o enriquecimento e o acúmulo de capital. Neste contexto, podemos identificar as seguintes características capitalistas: busca do lucro, uso de mão-de-obra assalariada, moeda substituindo o sistema detrocas, relações bancárias, fortalecimento do poder da burguesia e desigualdades sociais.

b) Liberalismo Econômico

Com raízes nas ideias liberais, o Liberalismo Econômico surge na Europa e na América no final do século XVIII associado ao liberalismo político nascido nas Revoluções Americana e Francesa. Segundo esta doutrina econômica, deve ser colocada a ênfase na liberdade deiniciativa econômica, na livre circulação da riqueza, na valorização do trabalho humano e na economia de mercado (defesa da livre concorrência, do livre cambismo e da lei da procura e da oferta como mecanismo de regulação do mercado), opondo-se assim ao intervencionismo do Estado e à adoção de medidas restritivas e protecionistas defendidas pelo Mercantilismo.

Um dos grandesdefensores do Liberalismo Econômico foi Adam Smith, considerado por muitos como o grande precursor da Ciência Econômica.

Associado ao forte incremento da produção e ao desenvolvimento dos transportes viria, mais tarde, a dar origem ao Capitalismo Industrial e Financeiro.

Adam Smith (1723-1790): Considerado como o pai da economia moderna, Adam Smith nasceu na Escócia,provavelmente em 1723, tendo vindo a falecer em 1790. O seu livro A Riqueza das Nações, editado em 1776, foi e continua a ser uma obra de referência para todos os economistas.

O principal princípio defendido por Adam Smith na sua obra foi o da Livre Concorrência: é a luta competitiva entre os produtores pela defesa dos seus próprios interesses e pela maximização dos seuspróprios lucros que constitui o motor do desenvolvimento das economias; Adam Smith explica como a competição força o preço dos bens para baixo até seus níveis "naturais", que correspondem ao seu custo de produção - é a "mão invisível" (ou mecanismo de mercado) que regula o mercado sem necessidade de intervenção de outras forças externas. Segundo o princípio da Livre Concorrência, o Estado deveriareduzir ao máximo o seu papel da economia (laissez-faire) e deixar o mercado regular-se a si próprio.

A expressão laissez-faire (em português "deixai fazer", ou seja, "não interfiram") representa um princípio defendido pelos economistas mais liberais e que defendem que o Estado deve interferir o menos possível na atividade econômica e deixar que os mecanismos de mercado funcionem...
tracking img