Brics

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1299 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1 Artigos


África do Sul nos Brics e a nova balança de poder mundial


1 O ingresso do país no grupo reforça visão de que o mundo está passando por amplas, complexas e profundas mudanças, marcadas pelo fortalecimento da multipolaridade e pela crescente interdependência


1 Por Analúcia Danilevicz Pereira*

[pic]

maisarquivar textoimprimire-mail

15/04/2012

 

Em abril de2011, em Sanya, Hainan, na China, foi formalizada a entrada da África do Sul no bloco chamado Bric, por ocasião da III Cúpula que, então, adotou a sigla Brics. Juntamente com o Brasil, Rússia, Índia e China, esse país agora compõe o grupo definido pelo impacto que suas economias passaram a ter sobre a economia global, segundo estudo desenvolvido pelo economista-chefe do grupo financeiro GoldmanSachs, em 2001, intitulado Building Better Global Economic BRICs.  A partir de então, o termo Bric fixou-se como categoria de análise nos meios econômico-financeiros, empresariais, acadêmicos e de comunicação.

Até 2006, os países que compunham o agrupamento não possuíam nenhum mecanismo que lhes permitisse alguma articulação. Na verdade, a ideia gestada em torno do Bric expressava a existência depaíses que, individualmente, tinham características que permitiam visualizá-los em conjunto, mas não como um grupo articulado. Entretanto, o conceito foi incorporado às políticas externas dos Estados envolvidos e o início do trabalho coletivo ocorreu na I Reunião de Chanceleres dos quatro países, organizada paralelamente à 61ª Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), em setembro de 2006.

Statuse desafios

O convite para que a África do Sul se juntasse ao Bric teve um forte significado político e econômico para os países africanos. O país alcançou o status de potência média e dispõe de condições para liderar sua região como um espaço qualificado, pois domina, claramente, as relações comerciais em seu continente e possui um amplo setor financeiro. A África do Sul, ao compartilhar comoutros Estados em desenvolvimento a percepção de que o mundo está passando por mudanças importantes e rápidas, que salientam a necessidade de transformações na governança global, consolida a lógica de que a capacidade de interação internacional levará à obtenção de ganhos no ambiente doméstico. Interessante observar que todos os membros do Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul (Ibas) são agoraparte do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

A entrada da África do Sul pode ser analisada em conjunto com os desafios colocados ao país como por exemplo sua eleição para dois anos de mandato não permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU), bem como Brasil e Índia, e, claro, China e Rússia, como membros permanentes. Sem dúvida, esses eventos constituem umesforço diplomático da presidência de Jacob Zuma em auxiliar na construção de uma agenda comum entre os países tidos "emergentes". A visão de mundo sul-africana é a de que a construção de alianças é um elemento importante das relações internacionais, pois, ao contrário dos outros países do grupo, possui uma forte agenda regional.

Relações externas e mercado

Os sul-africanos possuem boas relaçõesbilaterais com todos os outros membros e podem influenciar significativamente nas iniciativas diplomáticas dos Brics, promovendo a coesão do grupo. Os críticos argumentam que a economia, a população e o crescimento do PIB do país são muito menores do que os dos outros membros. Se economicamente a África do Sul está atrás dos outros membros dos Brics, em termos geopolíticos e geoeconômicos possuienormes vantagens. Há uma relação de reciprocidade entre as empresas sul-africanas, que querem se expandir para os mercados dos Brics e as empresas do grupo que querem entrar no mercado sul-africano.

O presidente Zuma, durante as negociações com os representantes dos países dos Brics, esteve acompanhado por delegações de empresários que apresentaram os avanços tecnológicos, de inovação e de...
tracking img