Bleger, j. (1971). temas de psicologia (entrevista y grupos). buenos aires: nueva visión, 1976.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5040 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A resiliência e as crianças moradoras de rua.

Resumo

Nosso objetivo neste artigo é o de expandir o conceito resiliência, trazendo a tona a real possibilidade que ele tem de transformar indivíduos, mesmo em situação de rua junto as suas conseqüências. Consideraremos ao longo deste, fatores de risco e proteção, junto aos processos de moradia nas ruas, envolvendo sua adaptação, rotina,conseqüências e aliado ao desenvolvimento de suas possibilidades e subjetividade. incluiremos conceitos da Psicologia Positiva, a resiliência, sob forma de atuação secundária. Vamos nos utilizar como referência o trabalho realizado pela Organização O Pequeno Nazareno que tem sua sede em Recife.
Palavras-chave:
Resiliência; Moradores de Rua; Prevenção.

Abstract

Our goal in this paperis to expand the concept resiliency, bringing out the real possibility that he has to transform individuals, even in the streets with their consequences. We will consider throughout this, risk factors and protection, along with the processes of housing in the streets, involving adaptation, routine, consequences, and combined with the development of its possibilities and subjectivity. will includeconcepts of positive psychology, resilience in the form of secondary action. Let us use as reference the work done by the Little Nazarene which has its headquarters in Recife.
Keywords:
Resilience; Homeless; Prevention.

Introdução

Ao iniciar esta pesquisa foi verificado não somente um universo a ser explorado, como também as múltiplas facetas com que podemos interagir. Uma dasprincipais problemáticas é vista pelo fato de que não se sabe ao certo quantas crianças moram nas ruas, estima-se que sejam até a presente data 200 mil crianças em situação de rua no Brasil, em acordo com a Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), dados oferecidos até 2008. No entanto, há a questão da classificação, ou seja, o que caracteriza uma criança moradora de rua?
Foi verificado que sejatalvez esse o principal desafio para que se atinja uma solução, já que algumas regiões consideram moradora de rua aquela criança que está sem abrigo a 1 semana, enquanto que em outra, é considerada moradora de rua, a criança que está ausente de abrigo por mais de 1 mês.
Portanto, além de enfrentarmos a negligencia das autoridades e o mau aproveitamento dos recursos cabíveis, há ainda o realmotivo para que essas crianças e adolescentes se encontrem nesta situação lastimável e que até então não foi possível ser solucionada. Não há duvida de vínculos rompidos, seja por agressão física ou abuso sexual, drogas, entre outros. Porém não se pode mais vendar os olhos frente a tais problemas e nem mesmo generalizar nossas crianças como delinqüentes, marginais, pivetes, mendigos. E é por isso quetrazemos o tema resiliência, apoiado em uma organização consciente e verdadeira de que somos capazes de transformar a vida de cada criança. Muitas vezes o que falta, é apenas a oportunidade de se perceber que há outro mundo, outros valores, outros modelos de vida a serem experimentados.

Objetivo

Pretende –se ao longo deste artigo apresentar a possibilidade de resiliência com criançasmoradoras de rua utilizando como suporte o trabalho desenvolvido através de uma organização não governamental. Para tal, utilizaremos como instrumento principal a nossa pesquisa a ONG Pequeno Nazareno, localizada em Fortaleza, onde pretendem além de remover esta banalização das ruas, também promover a inserção dessas crianças e jovens na sociedade, reestruturando seus vínculos rompidos, e assim lhesapresentando uma nova forma, mais saudável de ser criança e vencer desafios.
Estima-se que hoje há cerca de 400 crianças morando em rua na cidade de Fortaleza. Desse total não se sabe exatamente quais sofreram abandono, quais foram agredidas fisicamente, sexualmente. O que se sabe é que independente de parecer um numero pequeno, é assustador saber que se tornou um ciclo que invade todo o país....
tracking img