Atps

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 301 (75052 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
MARCEL BENEDETI
TODOS OS ANIMAIS
MERECEM O CÉU
Todos os Animais Merecem o Céu


Obra premiada no Concurso Literário João Castardelli 2003 — 2004, promovido pela Fundação Espírita André Luiz (FEAL).
Coordenadores do Concurso: João Carlos Bacurau e Aparecida Quintal
Comissão Julgadora: Ana Maria B Paschoal, Arnaldo Epstein, Carlos Coelho, Celeste P. da Silva, Cleonice S.Soares; Déa R. Conti, Dirceu Luttke, Doracy dos R. Gonçalves, Dulcelina de Jesus, Eduardo Luiz Xavier Fernando Bacurau; Gastão de Lima Neto, Lara Bacurau, Ildézio Bilmayer, Jayme R Pereira, João Demétrio Lorichio, José Geraldo Ramos, José Pozzi, Maria Rita Ortega, Marlene Santos; Nadir da S. L. de Assis, Nicelmo Abreu Andrade, Paulo Nanini, Ricardo P. de Paula, Roberto Pasetchn Spério Faccione eValter S. de Souza
Consultora: Ana Gaspar





Índice

Apresentação
Animais
Bob
O Malamute
Kayamã
O Presente
O Incêndio
No Hospital
O Resgate
Tia Nana
Formosa
Suzy
Aprendizado
Café
Na Fazenda
Animais Assustadores
Sabatina
Em Auxílio
Os Condenados
Surpresas
No Mar
OsAnimais Reencarnam
Todos os Animais Merecem o Céu
Ilustre Visita



Apresentação


A platéia aplaudia, entusiasmada, ao vê-lo recebendo o diploma de graduação, como médico veterinário. Ali, naquele salão, cerca de quinhentas pessoas estavam reunidas para contemplar os amigos e parentes que se formavam, também, assim como ele.
Seus pais e suas irmãs estavam felizes por vê-locolando grau, pois, sabiam que não havia sido fácil para todos conseguir chegar até ali. Foram anos de esforço e até mesmo de privações, para atingir aquele objetivo, uma vez que vinha de uma família de operários e os recursos financeiros eram escassos.
Mas, todos os esforços foram recompensados naquele momento. Tornara-se médico veterinário. Ao receber o diploma, virou-se para a platéia eagradeceu de volta a salva de palmas que recebeu, mostrando seu cartucho azul e sorrindo como nunca.
De cima do palco, acenou para os parentes, em agradecimento, quando os viu sentados entre o público. Havia, entretanto, algumas pessoas que ele não conhecia, acenando, também, e estavam perto aos seus pais.
Quem seriam aquelas pessoas que pareciam tão felizes por sua diplomação? Uma delasusava uma espécie de batina marrom escuro, com um grosso cordão preso à cintura, de onde um crucifixo de madeira polida pendia, brilhante. Poderia ser algum padre que o conhecia ou aos seus pais. O eclesiástico estava acompanhando. Ao lado, estava alguém vestido de branco como um médico, que segurava um livro e um pequeno cão da raça fox terrier de pêlos duros. Ele também acenava. Ao lado deambos, outra figura bem-vestida. Usava um terno azul, bastante alinhado. Eram três pessoas ali, acenando e marcando presença no evento.
O recém-formado, por uma fração de segundo, desviou o olhar e já não mais os encontrou ali. Seus parentes continuavam a aplaudi-lo, e pareciam não se surpreender com o súbito desaparecimento daquelas três pessoas. Com um grande aceno, e desceu do palco, levandoseu cartucho.
Após a cerimônia, procurou seus pais para abraçá-los, enquanto, discretamente, procurava aquelas pessoas entre os presentes, mas não as encontrou mais.
Os colegas de turma se abraçavam, com lágrimas nos olhos pela despedida, quando ele notou aquele que estava de roupas brancas, próximo à porta do saguão, fitando-o, com um sorriso nos lábios. Quis ir até ele para conhecê-loe agradecer-lhe a presença, mas, naquele saguão repleto de pessoas, perdeu-o de vista. Desde então, não mais os viu.
Passado algum tempo, em uma noite, quando estava prestes a pegar — no sono, nota o surgimento de uma figura, agora conhecida, mas — — inesperada. O susto foi grande, pela surpresa.
De um salto, saiu da cama. O visitante inesperado, com sua voz suave, acalmou o rapaz e...
tracking img