Atos falhos: Um estudo sobre os lapsos da fala, escrita e leitura

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 5 (1120 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 21 de junho de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Atos falhos: Um estudo sobre os lapsos da fala, escrita e leitura

Eliane Pereira da Silva*

Esse artigo tem por objetivo elucidar alguns conceitos sobre os atos falhos partindo da teoria freudiana. Através desse estudo iremos observar alguns exemplos de atos falhos ocorrentes na mídia. Buscaremos compreender como esse fenômeno acontece e suas respectivas causas a partir da visão dosteóricos: Freud, Lacan, Garcia Rosa, Laplanche e Rontalis.
Para Freud(1915) é importante que primeiramente haja uma compreensão sobre a noção de inconsciente para assim aprofundarmos no estudo dos atos falhos. Em seu artigo sobre o inconsciente ele ressalta que os dados da consciência apresentam um grande número de lacunas e que tanto as pessoas sadias ou as doentes desenvolvem atos psíquicos, os quais aciência não oferece explicações. O autor entende essas lacunas como lembranças encobridoras, como por exemplo, os atos falhos, enfatizando que eles só podem ser elucidados através do inconsciente.
Garcia Rosa (2007) afirma que os fenômenos lacunares são importantes para a investigação psicanalítica o que Lacan denomina de formações do inconsciente. Os atos falhos são indicadores da ordem doinconsciente em que seus sintomas produzem uma descontinuidade no discurso consciente e também um sentimento de ultrapassagem em que o sujeito se sente atropelado por outro que ele próprio desconhece que domina e impõe sua fala, acarretando troca de nomes e esquecimento que se escapa a um sentido. Esse outro sujeito a qual pertencem os atos e as manifestações é o sujeito do inconsciente.
Freudevidenciou em suas teorias que o ato falho era como um sintoma, constituição entre compromisso, entre o intuito consciente da pessoa e o reprimido afirmando assim que através do ato falho o desejo do inconsciente é realizado. Sendo assim o ato falho é um ato bem sucedido ao nível do inconsciente em que podemos observar claramente em uma análise.
Com base na teoria que Freud discute podemos entender queo ato falho é uma formação do inconsciente, isto é seu efeito, e conforme as considerações levantadas sobre o inconsciente compreendemos que existem dois fluxos de pensamentos sendo eles a consciência e o latente. O primeiro como aquilo que está ciente e o outro como o que está num estado inconsciente, não esquecido, e que uma hora pode vir à tona.
Tomaremos como objeto de análise três tipos deatos falhos, sendo eles: os lapsos de fala, de escrita e leitura. Os lapsos de fala acontecem quando a pessoa tenciona dizer algo, mas ao invés da palavra visada diz se outra do que a que deveria ser dita. Os lapsos de escrita se dão quando uma pessoa escreve uma coisa em vez de outra. Já os lapsos de leitura acontecem quando uma pessoa lê outra coisa que o que foi dito.
Observamos o seguinte atofalho do Radialista da Rádio Globo, em um dia de chuva no RJ, ao informar sobre o estado do trânsito, afirma:
“Neste exato momento está caindo uma forte chuva de granito.”
Entendemos este ato falho como sendo um lapso de fala, em que o falante ao invés de dizer que estava caindo uma forte chuva de granizo, diz que “está caindo uma forte chuva de granito”. Observamos que neste lapso há umasubstituição de um fonema por outro, levando em consideração que as palavras são semelhantes, mas que provocam sentidos opostos. Isso acontece porque essas palavras já estão associadas em nossa consciência lingüística e também pelo fato de estarem muito próximas uma das outras assim sendo fácil de evocar a errada por engano.
Em uma divulgação no jornal “O Globo” observamos o seguinte: “Site da CNNdivulga morte de Fidel Castro e outros”. Neste exemplo pudemos notar que ocorre um lapso de escrita, o qual o ato falho está na palavra “outros” que nos dá a entender que teriam outros mortos além de Fidel Castro. De fato o objetivo era expressar que além dessa notícia haveria outras. Isso pode mostrar um desejo recalcado por parte do jornalista que tinha vontade de que outros políticos morressem....
tracking img